Inovação: um lado pouco conhecido da Mineração

Por: Vânia Lúcia de Lima Andrade | Consultora, mestre em Management of Technology pelo MIT. Trabalhou na Vale por 39 anos. Atualmente é membro do Conselho Empresarial de Inovação e do Conselho Empresarial de Mineração e Siderurgia da ACMinas.

 

Não é claro para o público em geral o papel das inovações nas operações mineiras atuais. Há uma tendência a se subestimar o grau de avanço tecnológico desta atividade que está na base da cadeia da indústria de transformação. As minerações modernas são realizadas de maneira muito diferente quando comparadas às praticadas algumas décadas atrás. Podemos correlacionar este salto em produtividade e gerenciamento das operações aos avanços tecnológicos que vêm sendo aplicados à mineração, em todas as etapas da cadeia operacional, desde a fase de exploração geológica até a entrega do produto ao cliente.

A seguir daremos alguns exemplos de inovações tecnológicas de ponta que estão mudando o mundo da mineração.

Um dos fatores mais importantes para a competitividade das empresas desta indústria é a possessão de boas reservas minerais. Tecnologias que aumentam a eficácia e eficiência da etapa de exploração afetam diretamente a sua competitividade. No entanto, os bons depósitos, aqueles de alto teor e em regiões de mais fácil a acesso, são coisa do passado. O alto custo e longa duração da atividade de sondagem em ambientes remotos tornam a exploração uma das fases mais complexas e onerosas de um novo projeto. As tecnologias indiretas de identificação e avaliação de corpos mineralizados são, portanto, uma alternativa imprescindível e complementar para os métodos convencionais usados na exploração. Uma tecnologia que tem tido rápida evolução para o minério de ferro é a Aerogradiometria Gravimétrica, inovação que veio inicialmente do Canadá. Medidas muito sensíveis da variação da força de gravidade em função da densidade da rocha são o meio de identificação e avaliação de corpos mineralizados de rochas de alto peso específico, tais como a hematita e itabirito rico. Este equipamento é montado em um pequeno avião, que sobrevoa o terreno de interesse. Os dados são trabalhados por um programa sofisticado de computador. As rochas de maior densidade  são demarcadas em relação às rochas encaixantes, menos densas. Esta tecnologia de vanguarda permite uma avaliação em tempo recorde do potencial mineralizado de uma grande área, da empresa e até dos competidores.

 

Figura 1- Aerogradiometria gravimetica. Fonte: Vale S.A

Na fase de projeto, houve um grande avanço com o uso  da realidade virtual. Por exemplo, os planos diretores e  as usinas são projetados com uma visão concreta da realidade, evitando erros conceituais e  de engenharia que custam tão caros para serem corrigidos após implantados, sendo que muitas vezes isto nem é mais possível.

 

Figura 2 Realidade virtual na Mineração. Fonte: Coffey Ltda

 

Na fase da lavra, estão cada dia mais comuns o uso de equipamentos autônomos ou com controle a distância, sejam caminhões, carregadeiras e outros equipamentos. Além de mais eficientes, eles reduzem ao mínimo a exposição de vidas humanas ao risco de acidentes muitas vezes fatais. Estes equipamentos são controlados por GPS, sensores, radares e  fazem uso de inteligência artificial.

 

Figura 3 Caminhão autônomo de 240 toneladas. Fonte: Vale S.A

 

Nas usinas de concentração tem-se observado o uso massivo de modelamento matemático para tornar as operações mais robustas. Além disso, nestas usinas,  o uso de sensores aliados à inteligência artificial tem aplicado o conhecimento acumulado pelos operadores nos sistemas especialistas, aproveitando melhor o uso do bem mineral não renovável, que é a jazida.

Hoje, em função dos acidentes nas barragens, estão sendo desenvolvidos e já há muitas aplicações de disposição de rejeitos  em pilhas, sem utilização de barragens. Além disso, em alguns casos, estão sendo desenvolvidos processos de concentração sem adição de água. Este é o caso de processo desenvolvido pela New Steel, na qual a secagem do minério de ferro é seguida de processo de concentração em separadores magnéticos de terras raras. Este  processo é inédito e será testado em breve em uma unidade de demonstração que está sendo construída no munícipio de Nova Lima.

A mineração também inovou na sua busca por  novas soluções aos seus desafios quando criou o Mining Hub. Trata-se de um ambiente que fomenta e articula parcerias entre empresas da cadeia da indústria ( mineradoras, fornecedoras de equipamentos e serviços)e start ups, em um modelo de inovação aberta. São 22 empresas que participam  deste trabalho de articulação que já está no seu terceiro ciclo de desafios para desenvolvimento e já conta com casos de sucesso dos dois ciclos anteriores.

 

Figura 4- Mining Hub. Fonte: IBRAM

 

É interessante ressaltar que a iniciativa do Mining Hub pode ser enxergada como sendo a criação de um ecossistema de inovação aberta para a mineração, agregando valor a esta atividade. Muito se tem falado sobre a necessidade de agregação de valor à mineração através da verticalização, uma vez que em boa parte dos casos os minérios são exportados na sua forma natural ( e não como metais ou ligas). Sabe-se, no entanto, que em alguns casos, e por vários motivos, nosso País não tem vantagens comparativas para seguir neste caminho. A agregação de valor através de novos produtos e serviços de base tecnológica ligados ‘a atividade mineraria é uma alternativa viável e foi, por exemplo, a adotada por países exportadores de matéria prima, como a Austrália.

Iniciativas como o Mining Hub também têm a virtude de atrair jovens talentos para trabalharem para a  mineração, trazendo novas abordagens e oxigenando a mentalidade.

É importante ressaltar, no entanto, que hoje,  os maiores desafios da mineração estão nos projetos de sustentabilidade social e ambiental.  Neste aspecto, os projetos sociais que levem ao desenvolvimento sustentável das comunidades em que as mineradoras estão inseridas podem representar grandes oportunidades a serem exploradas, incluindo aquelas que permitem atividades econômicas para após o fechamento da mina. Este tem sido um dos focos do governo do Estado de Minas Gerais. Sabemos  que temos um longo e complexo caminho a percorrer, mas as empresas de mineração estão conscientes que este é o próximo e definitivo desafio. Em breve teremos boas respostas e inovações neste campo.

 

 

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: