Exportações mineiras recuam, mas saldo da balança é positivo

Por: Juliana Siqueira

O ano de 2020, com todos os seus desafios econômicos, viu os números de exportações caírem para Minas Gerais. De janeiro a setembro deste ano, as exportações do Estado somaram US$ 18,648 bilhões.

O resultado representa queda de 2,6% em relação ao mesmo período do ano passado (US$ 19,153 bilhões), de acordo com os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Por outro lado, o saldo da balança comercial de Minas Gerais atingiu US$ 12,9 bilhões no acumulado entre janeiro e setembro. O valor é 3,2% superior ao registrado no mesmo intervalo do ano passado quando totalizou US$ 12,5 bilhões.

Nas exportações, de acordo com os dados, foi apurada queda também em relação aos volumes transportados. Se em 2019 foram 108,409 milhões de toneladas, em 2020 foram 106,435 milhões.

No entanto, quando a comparação é feita entre setembro deste ano e o mesmo período do ano passado, a variação é positiva. As exportações do nono mês de 2019 chegaram a US$ 2,115 bilhões, enquanto em 2020 foram US$ 2,490 bilhões, um incremento de 17,7%. Em relação aos volumes transportados, foram 12,136 milhões de toneladas em setembro do ano passado contra 15,330 em setembro de 2020.

Os dados também revelam que o minério de ferro e o café foram os dois produtos mais exportados pelo Estado, tanto de janeiro a setembro deste ano quanto no mesmo período de 2019. No entanto, nessa mesma base de comparação, o minério de ferro avançou, enquanto o café registrou recuo.

De janeiro a setembro de 2019, a exportação de minério de ferro chegou a US$ 6,184 bilhões, enquanto no mesmo período deste ano foram US$ 6,547 bilhões, um aumento de 5,8%. Foram, ao todo, 92,124 milhões de toneladas nos primeiros nove meses de 2020 e 95,379 milhões de toneladas  no exercício anterior.

Por outro lado, a exportação de café passou de US$ 2,569 bilhões de janeiro a setembro de 2019 para US$ 2,551 bilhões no mesmo período deste ano, apresentado uma retração de 0,7%. De janeiro a setembro de 2019, foram 1,194 milhão de toneladas, contra 1,133 milhão neste ano.

Já o terceiro lugar foi ocupado por produtos diferentes no acumulado de 2019 e no acumulado de 2020. Neste ano, o terceiro produto mais exportado por Minas Gerais foi a soja, com US$ 1,495 bilhão, contra US$ 988,568 milhões do ano passado e 4,328 milhões de toneladas, ante 2,799 milhões de toneladas, respectivamente.

Em 2019, o terceiro lugar do ranking de janeiro a setembro foi o ferronióbio, que alcançou US$ 1,525 bilhão, sendo que no mesmo período de 2020 foram US$ 832,105 milhões. Em relação aos volumes transportados, foram 70,112 milhões e 38,795 milhões, respectivamente.

Mensal –  Os números também mostram que apenas no mês passado, as exportações do minério de ferro foram de US$ 1,154 bilhão e 13,788 milhões de toneladas. No mesmo período do ano passado, foram US$ 690,018 milhões e 10,690 milhões de toneladas.

As exportações do café, em setembro do ano passado, chegaram a US$ 299,476 bilhões e 138,181 milhões de toneladas. No mesmo período de 2020, foram US$ 323,155 bilhões e 150,835 milhões de toneladas.

Em setembro de 2020, as exportações de ferronióbio foram de US$ 49,103 bilhões e 2,206 milhões de toneladas. Já no mesmo período de 2019, somaram US$ 166,011 bilhões e 7,720 milhões de toneladas.

Por fim, enquanto as exportações de soja foram de US$ 93,803 bilhões em setembro de 2019 e 257,909 milhões de toneladas, no mesmo período deste ano somaram US$ 96,891 bilhões e 263,397 milhões de toneladas.

MÉDIA DE EMBARQUE DE MINÉRIO CAI 11,3%

São Paulo – A média de embarques de minério de ferro do Brasil por dia recuou 11,3% até a segunda semana de outubro, ante o ritmo registrado no mesmo mês de 2019, para 1,37 milhão de toneladas, conforme dados do governo federal divulgados ontem, contrariando tendência positiva vista nos últimos meses.

Segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), as exportações de minério acumulam 9,63 milhões de toneladas na parcial de outubro.­

Em contrapartida, a média diária de embarques de petróleo subiu 27,5% no período avaliado, para 305,22 mil toneladas.

Entre as commodities agrícolas, a média de exportações de milho por dia avançou 7,3% até a segunda semana de outubro, para 293,75 mil toneladas.

China – As importações de minério de ferro pela China aumentaram em setembro graças a uma combinação de aumento na oferta das principais mineradoras e redução do congestionamento dos portos, e os próximos meses apontam para uma sólida oferta dos principais fornecedores do país, Brasil e Austrália.

Os embarques de minério de ferro em setembro aumentaram 8,2% em relação ao mês anterior e 9,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior, para 108,55 milhões de toneladas, segundo dados oficiais da autoridade alfandegária da China.

O apetite da China por minério de ferro permaneceu forte apesar da pandemia do coronavírus. O pais importou 868,46 milhões de toneladas entre janeiro e setembro, um aumento de 10,8% em relação ao mesmo período de 2019, segundo dados do General Administração das Alfândegas. (Reuters)

Jornal Diário do Comércio | 14 de outubro de 2020

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.