Mercado financeiro eleva projeção para o tombo do PIB em 2020 e para o crescimento de 2021

Por: Leonardo Faria Lima – Economista ACMinas

O mercado financeiro elevou a previsão para o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2020 de -4,36% para -4,37%.

Para 2021, a expectativa para o crescimento da atividade econômica foi elevada para 3,41%, a projeção anterior indicava uma alta de 3,40%. No entanto, o desempenho da economia está intrinsicamente ligado à vacinação da população contra a Covid-19 e, ao consequente fim das medidas de isolamento social.

Inflação

A projeção para a inflação oficial do país de 2020, quantificada pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), sofreu uma pequena redução de 4,38% para 4,37% – percentual acima da meta inflacionária de 4% – mas, dentro da margem de tolerância de 1,5 pontos percentuais para cima ou para baixo (2,5% a 5,5%).

Já para 2021, a previsão foi elevada de 3,32% para 3,34%. Segundo Conselho Monetário Nacional (CMN), a meta para inflação do período é de 3,75% com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Taxa Selic

Em relação à taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, o mercado antevê o patamar de 3,25% ao ano para o encerramento de 2021, acréscimo de 0,25 ponto percentual ante a projeção anterior (3,00% ao ano).

O departamento econômico da ACMinas, acredita que a taxa Selic será elevada gradualmente durante o exercício de 2021. A política monetária contracionista (redução da liquidez / meios de pagamento) será executada pelo Banco Central com o objetivo de conter a aceleração do processo inflacionário e a desvalorização cambial.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.