No país, 1,19 milhão de empregos formais foram fechados no primeiro semestre de 2020

Por: Leonardo Faria Lima – Economista ACMinas

Segundo os dados estatísticos mensurados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no primeiro semestre de 2020 foram fechados 1,19 milhão de empregos formais no país. Este é o pior resultado para o período desde o início da série histórica do Caged (1992).

O saldo negativo é oriundo da diferença entre 6,7 milhões de admissões e 7,9 milhões de desligamentos.

No âmbito série mensal, em junho foram fechadas 10,9 mil vagas de trabalho, contudo, ocorreu uma melhora perante o mês de maio, período que contabilizou a perda de 350 mil vagas.

O mercado de trabalho foi impactado abruptamente pela pandemia do coronavírus. As medidas de isolamento social reduziram a circulação de pessoas e, consequentemente, o consumo de bens e serviços.

Vale a pena ressaltar, que o Brasil criou 644.079 empregos com carteira assinada em 2019 – melhor saldo registrado desde 2014. Além disso, para 2020, o governo federal projetava a geração de quase 1 milhão de novas vagas de trabalho, porém, a crise mundial de saúde alterou drasticamente a construção deste cenário.

Perspectiva segundo semestre

O ministério da economia detém boas perspectivas para o segundo do semestre. A projeção está ancorada no arrefecimento do desemprego observado nos últimos 3 meses: abril (-900 mil empregos formais), maio (-350 mil) e junho (-10,9 mil).

O órgão também relatou que as medidas instrumentalizadas, pelo governo federal, foram importantes para atenuar o impacto da crise sobre o mercado de trabalho, como o Beneficio Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (Bem).

Setores

O setor de serviços foi o que mais encerrou postos de trabalho no semestre – perda de 507.708 vagas, sendo seguido pelo comércio, com saldo negativo de 474.511 vagas.

O setor da agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura foi o único que apresentou saldo positivo, isto é, abertura de 62.633 novos postos no período.

Regiões

Saldo de empregos formais, por regiões, registrado no primeiro semestre de 2020:

Sudeste: -690,7 mil
Nordeste: -258,8 mil
Sul: – 195,1 mil
Centro-oeste: – 27,3 mil
Norte: -27 mil

Estados

Entre as unidades federativas do país, São Paulo obteve o pior resultado, com 364.470 postos de trabalho fechados. O Rio de Janeiro apresentou a segunda maior involução, perda de 184.928 vagas.

Mato Grosso e Acre apresentaram os melhores resultados no primeiro semestre, com o advento de 3.565 e 1270 vagas respectivamente

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.