ACMinas debate a importância do seguro para empresas e executivos 

ACMinas debate a importância do seguro para empresas e executivos 

O cenário incerto em que há possibilidade de as decisões dos administradores passarem a ser alvo de questionamentos, inclusive quanto ao cumprimento das políticas de governança da empresa, foi assunto pautado durante a última reunião do Conselho Empresarial de Seguros, ocorrida ontem.

Com o tema “Riscos e Seguros dos Administradores (Sócios, Conselhos, Diretores e Executivos) ”, o evento contou com representantes renomados do setor e debateu sobre a importância de os empresários contratarem um seguro correto e eficaz, especialmente para os altos executivos.  

Durante o encontro foi destacado que os seguros voltados especialmente para os altos executivos das empresas têm como objetivo proporcionar cobertura para diversas situações pelas quais a sua administração pode ser responsabilizada.  Segundo Sergio Frade, presidente do Conselho Empresarial de Seguros da ACMinas e da Solutions Gestão de Seguros, todas as pessoas da empresa, são responsáveis, de alguma forma, por quaisquer ocorrências, sejam elas diretores, conselheiros e até mesmo proprietários. Ele   ressaltou ainda que, diante da pandemia, muitas empresas passam por dificuldades financeiras e os riscos à sua sobrevivência estão maiores ainda. “Se antes o empresário lidava com riscos tributários e sistemas relacionados à governança corporativa, atualmente, há ainda novos riscos, como os relacionados a doença dos empregados, por exemplo”, salienta. 

A importância da presença do profissional de seguros no processo de escolha foi abordada por João Henrique Café, presidente do Conselho Empresarial de Assuntos Jurídicos da ACMinas. Para ele, não é possível contratar um bom seguro para a empresa sem a figura de um bom corretor. “É o profissional técnico especializado, habilitado e regulamentado e que consegue avaliar e definir um contrato de seguro que atende às necessidades específicas do segurado”, explica.

O vice-presidente do Conselho Empresarial de Seguros da ACMinas, Landulfo de Oliveira Ferreira também destacou a importância do corretor. “Esse profissional é essencial para a atividade de corretagem”, completou. 

Em sua explanação o superintendente de Linhas Financeiras da Zurich no Brasil, Fernando Saccon, explicou que, desde 2014, o mercado de seguros foi impactado muito pelos acontecimentos, desde a operação Lava Jato, seguida de processos regulatórios e pandemia. Por isso, segundo ele, o ramo de seguros teve que se adequar à realidade das taxas e franquias. “Os contratos foram repaginados para que os produtos ficassem mais claros. Eles saíram da padronização para a personalização”, completou. 

Ainda durante o encontro, foram abordados ainda os impactos das mudanças de decisões de condenações do Supremo Tribunal Federal, meio ambiente, questões sociais no ramo das seguradoras.  O vice-presidente e coordenador dos Conselhos Empresariais da ACMinas, Marcos Brafman, ressaltou sobre a importância dos conselhos da entidade que trazem temas de interesse de todos os associados. “Falar sobre seguros, por exemplo, interessa a todas as empresas associadas ou não”, explicou. 

Assista agora:

 

 

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: