ACMinas debate Sistema Tributário

Sem crescimento sustentado não há salvação. O Brasil passou por uma década com desenvolvimento zero e está profundamente adoecido sob o ponto de vista econômico e uma parte dessa insalubridade do Brasil é a carga tributária.  Essa e outras considerações foram debatidas durante o Webinar com o tema: “Quando o Brasil terá um sistema tributário normal?”, que a Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas)  realizou na terça-feira, dia 6 de julho.

O presidente da ACMinas José Anchieta da Silva, abriu o evento, ressaltando quea associação pensa que o Brasil precisa de uma reforma tributária estruturante e de uma revolução das ideias.“Uma revolução é feita de duas formas: com armas ou com ideias. A primeira não nos interessa, mas a segunda nos pertence eé  nesse vetor e com esse recurso que queremos trabalhar. Precisamosde uma reforma continente, e de conteúdo”, explica. 

De acordo com palestrante Paulo Rabello, que é escritor, consultor, professor e economista premiado; Ph.D pela Universidade de Chicago, essa reforma deve ter um formato de um quadrado tributário, que contempla justiça social, equilíbrio fiscal, pacto federativo e avanço competitivo.“Uma reforma tributáriabem feita daria cabo de todas essas questões. E o governo não conseguiu explicar adequadamente esse formato na proposta atual de mudança”, salienta. Em sua exposição, Paulo Rabello apresentou um esboço de uma reforma tributária que atende a esse quadrado tributário. 

Em suas considerações, o moderador Carlos Alberto Teixeira de Oliveira, que é economista e presidente do Mercado Comum e vice-presidente da ACMinas, ressaltouque se o Brasil não mudar essa perversa relação que persiste no campo tributário brasileiro –  em que quase 50% dos bens e consumo são taxados, que gera uma distorção – não haverá reforma da previdência que prevaleça. “Não adianta criar fazer esse grande número de reformas, às vezes seria melhor ter uma reforma constitucional”, ressalta. 

Para o professor Valter Souza Lobato que é Mestre e Doutor em Direito Tributário pela UFMG, sócio do escritório Sacha Calmon MisabelDerzi Consultores e Advogados, existe um problema gravíssimo no Brasil, uma vez que ninguém sabe o que está pagando. “Em outros países, as pessoas não têm consciência do que está pagando e aqui não, por isso não existe uma pressão que cobre sobre o que está pagando”, completa. 

Contudo, o que mais lhe preocupa que o Brasil criou um sistema tributário tão per ruim, que inibe o crescimento, uma vez que as empresas têm medo de crescer e pagar mais impostos. “O empresário pensa eu não posso crescer, porque eu vou sair do simples e não consigo pagar o presumido”, finaliza Sacha Calmon. 

Confira o webinar:

 

 

Mais informações: 

Sandra Mara 

(31) 99689.0833

 

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: