Inovação em Pauta 05: Inovação no Agronegócio (25/06/2020)

Entrevistado: Leonardo Dias (NovoAgro Ventures)

A exposição temporária do Museu do Amanhã, “Pratodomundo – Comida para 10 bilhões”, levanta um questionamento essencial para o futuro da humanidade: “Como alimentar uma população de 10 bilhões de pessoas em 2050, com qualidade nutricional, diversidade de produção e sustentabilidade?

Pensando no futuro da comida, a experiência da exposição traz a jornada da alimentação humana, um hábito inerente à sobrevivência. Também é possível perceber as evoluções na maneira de se consumir alimentos, que demandaram novos formatos de produção de comida, aplicações de avanços tecnológicos e logísticos.

Nessa exposição, a fachada trazia insetos: uma praga comum e também preocupação companheira de quem cuida das lavouras e pode ver seu trabalho de meses, não ser concluído. Em meio a pandemia da Covid-19, em um momento em que a produção agro brasileira é fundamental, fomos surpreendidos pelo risco da possível chegada de uma nuvem de gafanhotos na região sul do país.

“A nuvem de insetos impactaram plantações de milho de países vizinhos ao Brasil e são capazes de comer pastagens em um dia, equivalente ao alimento de 2 mil vacas”. Dá para imaginar o estrago na região Sul, onde as produções são caracterizadas pela soja e carne, voltadas para a exportação, além do milho, cana-de-açúcar, algodão, arroz e trigo. Impactos que transbordam na agroindústria da região sudeste e na economia nacional.

Coincidência ou não, impossível imaginar, e adicionar aos problemas, a chegada de um “ciclone-bomba”, junto a uma intensa frente fria que avançou o atlântico e se concentrou na região sul do país. Apesar dos estragos, foi o fenômeno que mudou a rota dos gafanhotos para fora das fronteiras e da produção brasileira. Fica o alerta para inciativas, mais preparo e tecnologia para futuros fenômenos naturais que virão, visando estarmos mais bem preparados para lidar de forma colaborativa e global.

Passado o sufoco até aqui, apesar da queda nas importações e nas exportações por causa da pandemia de Covid-19, a Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia, informou (1/07) que a balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 7,463 bilhões em junho deste ano. As exportações somaram US$ 17,912 bilhões, uma queda de 12% comparada ao mês em 2019. Já as importações chegaram a US$ 10,449 bilhões, uma redução de 27,4% na mesma comparação.

Os produtos agrícolas impediram uma redução maior das exportações no mês passado, com crescimento de 29,7% nos embarques. Enquanto um setor essencial se equilibra em meio a pandemia, outros setores apresentam queda: 26,1% em indústria extrativa e 21% em bens da indústria de transformação. Prejuízos são identificados nos segmentos de flores, com a suspensão de eventos, velórios e serviços de alimentação, com valor agregado, com o fechamento de shoppings, bares e restaurantes. O algodão, com a desaceleração da indústria têxtil, e o etanol foram também impactados pela redução do consumo pessoal.

Voltando à pergunta do início, “como alimentar 10 bilhões de pessoas daqui há 30 anos”, percebe-se uma necessidade nacional de investimento em soluções e tecnologia, com consciência e responsabilidade. Uma vasta oportunidade para o Brasil, país com extensões continentais e diversidade na produção de alimentos.

Para responder perguntas como essa, o Agronegócio é o segmento que Leonardo Dias, nosso convidado da edição, escolheu como nova missão e investimento. Empreendedor, conhece bem as bases fundamentais para transformar um setor, somadas às experiências de quem fomentou a inovação em Minas Gerais, conectando o estado aos principais centros do Brasil, tendo como referência cases que são referências nacionais e internacionais.

“Impacto é mudar a vida das pessoas de tanto que a sua ação é relevante.”

Léo Dias.

A seguir, confira as “safras” e a jornada de impacto pelo empreendedorismo de Leo Dias, e o cenário que ele vem identificando no contexto agro brasileiro.

A entrevista na íntegra você confere no Inovação em pauta no youtube:

https://www.youtube.com/watch?v=Dfvwc5y4-zk

CAPILARIDADE COMO ESTRATÉGIA

“Ser empreendedor no Brasil não é tarefa fácil. O termo startup é atual, mas o conceito está na vida do empreendedor desde sempre”. Léo Dias

SAFRA 1 – DM 25 ANOS LÍDER NO MERCADO DE EVENTOS

Minas é um bom retrato do país. O estado faz divisa com a maioria das regiões e as cidades de fronteira fortalecem essa conexão, uma diversidade, sem sair do estado. Localização que é uma vantagem competitiva. Empreendedor da DM, durante 25 anos a empresa foi líder de mercado no setor de eventos, responsável pelas edições do Carnabelô, Axé Brasil. Um estratégia de mapeamento das cidades comum quantitativo de habitantes, formou sociedades nas pontas para fechar agendas com os principais artistas nacionais. A localização mineira era diferencial para artistas desejosos em lançar seus produtos conosco.

“Minas é praça teste, público exigente. Se der certo em Minas Gerais, certamente dará no restante do país”.

SAFRA 2 – INOVAÇÃO EM MINAS DE PONTA A PONTA

No Governo, como Sub Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado, Leonardo replicou o modelo identificado e validado na DM para fomentar a inovação no Estado. Movimentos de conexão como o Seed (programa de aceleração de startups do Governo de Minas Gerais), Sistema Mineiro de Inovação – (SIMI), Finit (evento e feira de conexões para o empreendedorismo) foram essenciais para trazer esse olhar do investidor para o potencial do estado. “Mapeei no estado jovens, empreendedores que faziam muito com pouco e criamos uma rede descentralizada de agentes de inovação. Com um estado grande é preciso muita gente trabalhando com você”.

SAFRA EM ANDAMENTO: NOVOAGRO

“Ter essa capilaridade na estratégia é fundamental para gerar escala. Acredito que mais uma vez, posso estar no momento e no lugar com as pessoas certas para gerar impacto. É o que farei no agronegócio, vocês verão”.

A parceria conta com a credibilidade da Faemg e a metodologia da FCJ.

CENÁRIO AGRONEGÓCIO EM TÓPICOS:

Oportunidades e momento:

-País continental, clima no Brasil permite três safras no ano.

-O coronavírus evidencia as oportunidades e a importância do agronegócio: um dos setores econômicos mais estratégicos do Brasil.

-Temos setores da cadeia de alimentos batendo todos os recordes de produção.

-O segmento representa atualmente 56% da exportação brasileira.

-Potencial para aumentar o plantio por metro quadrado, de maneira sustentável.

Dores:

– Agro, setor com mais dados e dores.

– O pequeno produtor é a maior parte da cadeia produtiva, 80%.

– É um desafio aproximar os pequenos produtores das tecnologias.

– Há muita tecnologia, voltada ao grande produtor e maioria delas importadas.

-Informação é importante e internet tem alto custo.

– Irrigação é sinônimo de produção. Há necessidade de revisão nas legislações brasileiras, para irrigação com sustentabilidade, com base em dados.

– Previsibilidade: como prever a plantação, a produção para que na hora da colheita todo mundo ganhe em proporção.

– O produto in natura não tem posto para exportação.

-Taxação: qualquer valor agregado no produto, gera imposto e perde competitividade. O que vale mais: uma saca de café ou uma cápsula?

-Agricultura de precisão brasileira é a pior do mundo.

Desafios:

-Ter tecnologia local que chegue no pequeno produtor.

-Criar e fortalecer a cultura do investimento anjo aos pequenos produtores.

-Gerar valor para a cadeia produtiva, valorizar e fomentar o investimento de tecnologia na produção nacional conectando incubadoras, aceleradoras, universidades e investidores.

-Mapear soluções tecnológicas que podem ser trabalhadas com qualquer produtor, com sustentabilidade, promovendo a saúde do trabalhador, das pessoas.

-Possibilitar rastreamento feito como produto do bem, selo de qualidade, sem maus tratos.

“Tem que ser uma força de país. É necessário se investir em todos os setores do agronegócio, gerando mais empregos, divisas e construindo no Brasil, agora, a economia agro do futuro”. Léo Dias

Redação: Francis Aquino Fernandes, para o canal Inovação em Pauta. Entrevista realizada no youtube em 25/06/2020.

 SOBRE O NOVOAGRO VENTURES

Venture Builder do setor do Agronegócio, seleciona de forma contínua inovações aplicadas e startups focadas no setor de agronegócio, que tenham paixão pelo propósito do negócio com foco na geração de valor para o mercado.

Selecionam Startups promissoras e oferecem infraestrutura, know-how, acesso a canais de mercado, modelagem de negócios, além de suporte nas áreas de marketing, vendas e produto, investimento de capital de serviços (gestão administrativa, financeira, TI, jurídica, contábil).

Integram a maior rede de Venture Builder da America Latina: a FCJ Venture Builder.

Conheça: https://novoagro.ventures/

Parceiros

Faemg: http://www.faemg.org.br/

FCJ: https://www.fcjventurebuilder.com/

SOBRE O CANAL INOVAÇÃO EM PAUTA

Como o objetivo de desmistificar o conceito de inovação, nasceu o programa Inovação em Pauta, um canal de conteúdo no Youtube que promete informar, inspirar e principalmente apresentar de forma clara e simples como o ecossistema da inovação se movimenta em Minas Gerais e no Brasil.

O programa representa uma imensa oportunidade de se manter atualizado sobre tudo o que é feito e por quem são feitas as inovações mais relevantes no mundo de hoje, o que está acontecendo no Brasil e no mundo, quais as principais tendências e como não ficar de fora dessa transformação digital.

Suas idealizadoras, Alessandra Alkmim e Janayna Bhering são especialistas em tecnologia, inovação e empreendedorismo, com forte atuação no mercado. Francis Aquino é jornalista empresarial e atua fortemente na identificação de oportunidades, divulgação e promoção do capital intelectual brasileiro.

Programação: todas as quintas-feiras, 19horas

Acesse:

https://www.youtube.com/watch?v=rABhCfwjVuk

@inovaçãoempauta

contatoinovacaoempauta@gmail.com

FONTES DO E-BOOK:

Programas de Inovação do Governo de Minas Gerais citados no artigo:

http://www.finit.mg.gov.br/#blog

http://www.simi.org.br/parceiro/seed

Exposição Virtal: PRATODOMUNDO – Comida para 10 bilhões

https://museudoamanha.org.br/tourvirtualpratodomundo/

Relatório Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia:

Jornal Estadão em 01 jul 2020 – 15h43; Atualizado em 01 jul 2020 – 17h28

Outras fontes:

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2020/06/ministerio-declara-emergencia-em-rs-e-sc-para-combate-de-gafanhotos.shtml

https://www.cepea.esalq.usp.br/br/pib-do-agronegocio-brasileiro.aspx

https://blog.strider.ag/regioes-agricolas-brasil/

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: