Negócios de Impacto

Inovação em Pauta 07 (09/07/2020)

Entrevistado: André Maciel (Impact Hub BH)

A ONU em sua agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável nos traz 17 objetivos globais para transformar o mundo: acabar com a pobreza e com a fome; vida saudável; educação inclusiva com equidade e qualidade; igualdade de gênero para as mulheres e meninas; gestão sustentável da água; energia para todos; industrialização inclusiva e sustentável; fomentar a inovação; reduzir a desigualdade no país e entre os países; conservar os oceanos; cuidar da terra e das nossas florestas; promover a paz e a justiça; se desenvolver continuamente com sustentabilidade.

O RETROCESSO IMPACTADO PELA PANDEMIA

Em relatório divulgado em junho deste ano, o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU alerta sobre os impactos do novo coronavírus no progresso dos ODS, especialmente nos pobres e mais vulneráveis do mundo. A crise mundial está agora a desfazer décadas de avanço, em apenas alguns meses. Segundo a ONU, 71 milhões de pessoas podem regredir para a pobreza extrema este ano, marcando o primeiro aumento da pobreza global desde 1998. Os grupos mais vulneráveis e afetados no mundo pelos efeitos do novo Coronavírus serão as crianças, a população migrante, os idosos e as mulheres.

Argentina, Brasil e México liderarão o aumento regional da pobreza devido à pandemia. O último relatório da Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe (Cepal) prevê uma queda de 9,1% no PIB e o fechamento de 2,7 milhões de empresas” destacou o jornal EL País. “ A Cepal alertou em suas últimas previsões para a região que a pobreza crescerá 10,8% na Argentina, 7,7% no Brasil e 7,6% no México, números até três vezes maiores que as previsões para o resto dos países”. A previsão da ONU é alarmante: 45 milhões de novos pobres na América Latina.

Voltando os olhos para o Brasil, temos um lado da pandemia, que são os dados da ONG Oxfam, que entre 18 de março e 12 de julho, identificou que o patrimônio de 42 bilionários brasileiros cresceu U$$ 34 bilhões. O país aparece classificado em 53º lugar no relatório de Desenvolvimento Sustentável, num total de 193 países, com uma pontuação global 72,67 – 100 indica que todos os 17 ODS foram alcançados.

E a desigualdade é evidente quando se analisa os óbitos da pandemia. O estudo divulgado pelo Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde, grupo da PUC-Rio, confirma que pretos e pardos morreram por Covid-19 mais do que brancos no Brasil. Segundo Portal G1, o grupo analisou a variação da taxa de letalidade da doença no Brasil de acordo com variáveis demográficas e socioeconômicas da população. “Cerca de 30 mil casos de notificações de Covid-19 até 18 de maio, disponibilizados pelo Ministério da Saúde, foram levados em conta. Cruzando escolaridade com raça: pretos e pardos sem escolaridade tiveram 80,35% de taxas de morte, contra 19,65% dos brancos com nível superior”, cita a reportagem.

COLABORAÇÃO

A questão da saúde como vários outros itens dos ODS, não vê fronteiras e demandam colaboração global. “As crises de saúde, econômica e social exigem maior colaboração e solidariedade internacional para apoiar os países mais vulneráveis”, reforça o relatório para o Desenvolvimento Sustentável 2020.

A inovação é porta para soluções responsáveis e construídas com colaboração para gerar impacto social. Na missão de disseminar o empreendedor em torno dos Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o Impact HUB é a maior comunidade do mundo – mais de 17.000 membros e mais de 100 localidades, nos cinco continentes, em mais de 50 países. Belo Horizonte faz parte dessa rede, mobilizada pelo André Maciel, ou Gabiru.

Uma jornada de 15 anos de experiência em empreendedorismo, André passou uma temporada em uma multinacional na índia e não parou por aí.  Em Minas Gerais, hoje se dedica a espalhar a cultura colaborativa empreendedora junto a organizações tradicionais, academia e governo, impulsionando a economia de impacto no Brasil. E tem ainda uma razão maior de querer fazer a diferença: um mundo melhor para crescer com suas filhas Lara e Elis.

Confira  a seguir os principais pontos dessa entrevista, que você confere também na íntegra em vídeo, aqui: https://www.youtube.com/watch?v=vM50mnlkGkQ.

O QUE É UM NEGÓCIO DE IMPACTO?

“Negócio de impacto é aquele que busca conscientemente crescer e promover crescimento no mundo, tornando-o mais justo e sustentável”.

Gabiru comenta a evolução do entendimento das pessoas sobre negócios de impacto com a Agenda 2030 e os ODS, lançados em 2015. “De 2016 pra cá, fica mais claro que impacto está relacionado aos ODS. Um negócio de impacto é aquele que visa a utilizar práticas de gestão de negócios, de crescimento não só para o avanço da organização, mas atento também para qual transformação é feita no mundo, independentemente da sua constituição jurídica”, explica.

Há uma prática constante de mensuração do impacto social, da mesma forma que a empresa mede seu faturamento, número de clientes e qualidade de produtos e serviços. Quais os resultados que os usuários dos serviços ou produtos estão alcançando tendo em vista os objetivos sustentáveis.

ABUNDÂNCIA

Um dos diretores da WWF tem uma fala brilhante “o mais interessante de um ecossistema é justamente a fronteira dele”. Ou seja, onde termina um e começa outro é onde acontece uma troca impressionante.

Os ecossistemas já existem. O que é necessário é o fortalecimento do senso de comunidade, de interdependência e do potencial ao se manejar corretamente um ecossistema.

Em 2008 passamos a ter uma população mais presente nas cidades, comparada à zona rural, mundialmente falando. A cidade representa uma abundância de recursos, mas eles são desperdiçados.

O fortalecimento do ecossistema é ter consciência dessa abundância de recursos – se eu o ajudo, você me ajuda e isso acontece naturalmente.

É como a brincadeira da furadeira. Algumas pessoas têm uma em casa e usam por cerca de 5 minutos na vida toda. O tempo de fazer o furo propriamente dito. Essas ferramentas poderiam ser compartilhadas em almoxarifados coletivos em condomínios, por exemplo.

COLABORAÇÃO PARA COMBATE À PANDEMIA

Com a chegada da pandemia, o contexto da covid-19 se tornou o primeiro grande desafio de trabalho para o Ideia Gov, unindo USP, Impact Hub, secretaria de desenvolvimento do estado e outros parceiros que vêm chegando, todos colaborando, operando em rede, buscando soluções para acelerar o impacto, fazer a inovação causar o impacto necessário.

Ainda é cedo para medir resultados, mas a primeira percepção é justamente o aglutinamento de atores e de soluções que estavam até então escondidas, e estão sendo reveladas.

A outra mudança é o reconhecimento da importância do desenvolvimento sustentável, como um valor compartilhado. Gerar valor para os acionistas e demais stakeholders passa obrigatoriamente pelo desenvolvimento social.  Também percebe-se um senso de colaboração maior. Com descontos, permutas, facilitando pagamento.

Toda essa destruição gera uma oportunidade de reinvenção de sociedade global e eu estou nesse barco querendo acelerar a construção desse mundo do futuro.

Uma grande mudança é o reconhecimento de que não se precisa de uma grande infraestrutura (física), é possível usar espaços de co-working, home office, trabalho remoto – e tudo vai funcionar da mesma maneira. Isso abriu um leque de oportunidades e de acesso a talentos. Tudo mais conectado e sustentável.

COMUNIDADE DE IMPACTO AOS PEQUENOS EMPREENDEDORES

A pandemia deixou claro que o que o afeta me afeta, estamos todos interconectados. Mudanças climáticas não são problemas de país, é um problema da humanidade.

Embora o Hub congregue públicos diversos como governos, universidades e grandes empresas, os mais presentes são os que mais sofrem com a pandemia: o microempreendedor e as startups, que estão ainda no início, buscando escalonar.

Nossa primeira ação junto a eles foi tentar aliviar o caixa. Somos um negócio social, de impacto, não buscamos apenas o lucro e o aumento de clientes, queremos a evolução dos nossos membros. Assim, buscamos soluções como descontos, plano de pagamento estendido, agindo até antes da prefeitura de BH decretar o fechamento das atividades.

Também investimos em oferecer conteúdo digital, levando nossas práticas para o ambiente virtual. Já estávamos investindo nessa ação há anos, mas ela nunca foi tão necessária, útil como agora. Oferta de conteúdo, mentoria e trocas online foram aceleradas pela pandemia.

Dentro do Hub temos membros especialistas em transformação digital, e-commerce e, conectando os pontos, entre todos eles, foi possível ajudar. Mas é um momento extremamente desafiador.

IMPACTO PARA AS EMPRESAS

Muitas organizações querem assumir os ODS mas não sabem como fazer. Oferecemos apoio nesse contexto, para que elas descubram como entrar nessa cultura e como trazer o desenvolvimento sustentável para o centro da estratégia da empresa. Essa é uma necessidade para todas as organizações – quem não estiver fazendo isso vai morrer.

IMPACTO PARA GOVERNOS E STARTUPS

Os governos, incluindo o governo de Minas que criou o CID há 7 anos, perceberam o potencial das startups para gerar soluções para seus desafios. Somos gestores do projeto Ideia Gov no Brasil, liderando as demais unidades de Hub do país. Esse projeto surgiu da percepção do governo do estado de São Paulo de que era preciso aproximar das startups e da iniciativa privada para gerar inovações para o próprio governo (inovações públicas) e inovações sociais.

QUER TAMBÉM GERAR IMPACTO SOCIAL?

A dica para quem está começando é pensar, desde já, no desenvolvimento sustentável. Desde o momento de preencher o campo da razão social. Ela não é só um nome para a receita. É a razão de existir na sociedade – existe por que, serve pra que, como está a serviço do mundo. Claro que tem que dar lucro, dar conforto, renda, gerar emprego. Mas o negócio tem que existir pra algo mais amplo, visando resolver um problema maior e importante. Desde cedo é preciso medir se a razão de existir como negócio está sendo alcançada ou não.

Neste momento a plataforma global do Impact Hub está sendo oferecida de forma gratuita para todos os empreendedores do mundo. Eles podem se cadastrar, se conectar aos ODS de interesse e se conectar com mais de 17 mil membros ao redor do mundo.

O fortalecimento de ecossistemas parte de fazer enxergar que nenhuma região se desenvolve sozinha, há uma série de fatores envolvidos. Primeiramente, é preciso se juntar, mesmo que ainda com pouca organização, reconhecendo o senso de comunidade, que o crescimento de um concorrente é o meu crescimento – quanto maior o queijo, maior é a fatia para todo mundo. Em segundo lugar, é preciso encontrar vocação. Quais são as melhores oportunidades para crescer junto? E aí é colocar o foco nesta vocação.

UM HUB DE IMPACTO SOCIAL PARA BH

Trabalhando no terceiro setor, Gabiru buscava uma experiência de trabalho bem diferente. A oportunidade foi na Índia, em uma multinacional no setor de telecomunicações. “Lá, me deparei com uma realidade que não é muito diferente do Brasil na questão das desigualdades, mas na Índia parece que isso grita mais”.

Trabalhando na Índia com jornalistas Gabiru percebeu que, por melhor informados que fossem, pouco sabiam sobre o conceito de sustentabilidade. Daí surgiu o primeiro negócio na Índia, paralelo à carreira, de oferecer educação em sustentabilidade para crianças e adolescentes. “Nessa experiência o aprendizado de que, a partir de uma ideia, um incômodo, é possível criar algo que possa gera valor e resultados”.

Voltando para o Brasil em 2009, encontrou uma Minas Gerais quebrada, depois da crise de 2008. “A gente percebia a inquietação de pessoas que queriam inovar em suas carreiras, empreender seus sonhos, mas não sabiam por onde começar”. Contextualizou que em 2009, “quase não se falava de startup em BH, o empreendedorismo ainda era muito focado em varejo e comércio”. Resolveram então, criar uma consultoria focada em negócios sociais em BH.

Já em 2010, organizou um festival sobre mudanças climáticas em paralelo à COP-15 chamado “Academia da Sobrevivência”, com diversas atividades pela cidade. Em uma delas, um parceiro de São Paulo mencionou o HUB, que ainda não tinha ouvido falar e suspeitou de uma possível cópia de suas ideias. Foi então que no mesmo ano trouxe o Impact Hub, na época se chamava Hub, para Belo Horizonte. “Desde então, estamos nesse movimento de evoluir como um hub voltado para negócios de impacto enquanto vemos a evolução de nosso ecossistema, nossa cidade, estado, país e o mundo”.

A partir do Impact Hub se conectou a comunidades pelo mundo promovendo interação entre empreendedores de impacto, reunidos no mesmo ambiente de colaboração, compartilhando valores e objetivos semelhantes. “Possibilita a promoção de um senso de comunidade e a evolução de forma mais rápida, prazeirosa e saudável nos negócios, aumentando o impacto no mundo. A essência do Hub tá no senso de comunidade”, explicou.

Redação: Francis Aquino Fernandes e Thaís Helena, para o canal Inovação em Pauta. Entrevista realizada no YouTube em 09/07/2020.

SOBRE O IMPACT HUB

Impact Hub é a maior rede global de empreendedores de impacto, conectados porque acreditam na ação de negócios e pessoas em prol da criação de um mundo justo e sustentável. Atualmente, são mais de 17 mil membros, atuando em mais de 100 locais em cerca de 50 países, nos 5 continentes.

Conheça: https://belohorizonte.impacthub.net/

SOBRE O CANAL INOVAÇÃO EM PAUTA

Como o objetivo de desmistificar o conceito de inovação, nasceu o programa Inovação em Pauta, um canal de conteúdo no Youtube que promete informar, inspirar e principalmente apresentar de forma clara e simples como o ecossistema da inovação se movimenta em Minas Gerais e no Brasil.

O programa representa uma imensa oportunidade de se manter atualizado sobre tudo o que é feito e por quem são feitas as inovações mais relevantes no mundo de hoje, o que está acontecendo no Brasil e no mundo, quais as principais tendências e como não ficar de fora dessa transformação digital.

Suas idealizadoras, Alessandra Alkmim e Janayna Bhering são especialistas em tecnologia, inovação e empreendedorismo, com forte atuação no mercado. Francis Aquino é jornalista empresarial e atua fortemente na identificação de oportunidades, divulgação e promoção do capital intelectual brasileiro.

Programação: todas as quintas-feiras, às 19 horas.

Conecte-se conosco:

https://www.youtube.com/watch?v=vM50mnlkGkQ

Instagram e Facebook: @inovaçãoempauta

LinkedIn: linkedin.com/in/inovaçãoempauta

contatoinovacaoempauta@gmail.com

FONTES DO E-BOOK:

Relatório Desenvolvimento Sustentável 2020

Sachs, J., Schmidt-Traub, G., Kroll, C., Lafortune, G., Fuller, G., Woelm, F. 2020. The Sustainable Development Goals and COVID-19. Sustainable Development Report 2020. Cambridge: Cambridge University Press.

https://dashboards.sdgindex.org/rankings

Jornal EL País

https://brasil.elpais.com/economia/2020-07-16/argentina-brasil-e-mexico-liderarao-o-aumento-regional-da-pobreza-devido-a-pandemia-de-coronavirus.html

Pesquisa Núcleo de Operações e Inteligência PUC-RJ

https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/07/12/por-que-o-coronavirus-mata-mais-as-pessoas-negras-e-pobres-no-brasil-e-no-mundo.ghtml

ONU – Documento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/

ONU – Artigo “Senso de urgência da Agenda 2030 é ainda maior com a pandemia”

https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/

FSP Artigo “As lições da pandemia para o desenvolvimento sustentável”

https://www1.folha.uol.com.br/empreendedorsocial/2020/03/as-licoes-da-pandemia-para-o-desenvolvimento-sustentavel.shtml

Artigo “Iniciativas para ajudar pessoas e negócios de impacto durante a pandemia”

https://noticiasdeimpacto.com.br/iniciativas-para-ajudar-pessoas-e-negocios-de-impacto-durante-a-pandemia/

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: