Nossas empresas e a melhoria do ambiente de negócios

Caio Marcio Becker

Evidências sinalizam a melhoria do ambiente de negócios no Brasil: o acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, que ainda depende de aprovação pelo Parlamento Europeu e pelos Estados envolvidos; já se estuda um acordo de livre comércio também com o Japão e os Estados Unidos da América; a aprovação da Reforma da Previdência pelos Deputados; o início dos trabalhos no Parlamento Brasileiro para uma Reforma Tributária; e até mesmo os bons resultados apresentados pelos atletas brasileiros nos Jogos Pan-americanos de Lima, no Peru, colocando o Brasil no segundo lugar no Quadro de Medalhas, atrás apenas dos EUA.

Com a concretização dessas evidências seguramente a economia vai apresentar melhora relevante. Os acordos de livre comércio abrem o mercado em grandes centros como a Europa, o Japão e os Estados Unidos da América. Nossas empresas poderão atuar fora do Brasil, expandindo significativamente os seus mercados, mas em contra partida, empresas estrangeiras atuarão no nosso mercado. Teremos um aumento significativo na concorrência, em vários aspectos, econômico, na produtividade, na qualidade de nossos produtos e serviços. Nossa competitividade será muito mais exigida.

Essas notícias provocam uma reflexão importante: nossas empresas estão preparadas para este novo ambiente de negócios, dentro e fora do Brasil?

Nos últimos anos, as situações adversas enfrentadas pelos nossos empresários fizeram que fixassem sua atenção fora da empresa, deixando em segundo plano o ambiente interno dessas empresas. Esta situação provocou uma perda na gestão das empresas e consequente piora nos resultados obtidos. Em decorrência do aumento da concorrência e da exigência de maior competitividade é mandatório o resgate da gestão empresarial.

São muitos os fatores que afetam a gestão da empresa: a educação e a saúde dos funcionários, sua mobilidade, a carga tributária, o ambiente de negócios e outros. Sobre esses fatores o empresário não tem poder de ação e nem mesmo seu controle. São fatores de responsabilidade do Governo e estão sendo tratados. Sejamos otimistas, nossa economia será resgatada!

O empresário é responsável pela melhoria do ambiente interno da sua empresa. Sobre isto ele tem ação e total controle. Precisamos trabalhar os processos internos da empresa, reavaliando suas partes interessadas, sua missão, sua visão de futuro, seu planejamento e os processos que vão assegurar a satisfação das necessidades e expectativas de todas as suas partes interessadas. Se este trabalho for feito com seriedade, dedicação, planejamento e competência, estará assegurada a qualidade dos produtos e serviços disponibilizados e a produtividade da organização. Qualidade e produtividade adequadas garantem a competitividade e esses três fatores, em conjunto, asseguram a sustentabilidade de cada empresa.

Qualidade, Produtividade, Competitividade, Sustentabilidade, é o que cada empresa e cada empresário desejam e precisam. Para isso é necessário trabalhar o ambiente interno de cada empresa. 

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: