Reunião debate AVCB e normas do Corpo de Bombeiros

Na manhã da última terça-feira, 16, o Conselho Empresarial de Seguros da ACMinas reuniu na sede da instituição, associados, gestores de riscos e seguros de empresas, como Localiza, Pif Paf e Hospital Madre Teresa, seguradores, corretores de seguros, consultores e advogados. Na pauta, a importância dos sistemas de prevenção e combate a incêndio e do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) nos seguros de propriedades (empresas, condomínios residenciais e empresariais).

O presidente do conselho, Sérgio Frade, destacou que existem questões relacionadas à exigência de prevenção e combate a incêndio nas apólices de seguros de propriedades que deixa os segurados (consumidores) inseguros no momento da regulação de um sinistro. “Se o local segurado não possuir o AVCB ele terá direito à uma indenização ou não?“, questionou Frade no início da reunião do conselho.

Emitido pelo Corpo de Bombeiros, o AVCB atesta que a edificação de uso coletivo, como prédios comerciais e residenciais, está segurada contra incêndio. Mas a emissão do AVCB não é garantia de que um incêndio não possa ocorrer.

Em muitos casos, a contratação do seguro é feita sem exigência do AVCB por parte da seguradora.

“Não são todas as seguradoras que exigem o AVCB tanto na aceitação do risco, como nas regulações de sinistros. Para algumas seguradoras, o importante é ter os sistemas de proteção e combate a incêndio testados e em condições de serem operados. Em caso de um sinistro, a seguradora avaliará as condições de segurança do local segurado e o atendimento às condições contratuais e legais. É fundamental observar as apólices que preveem o cumprimento da legislação específica para proteção das edificações. É também recomendável que os consumidores verifiquem sobre e exigência de apresentação ou não do AVCB no ato da contratação do seguro, tornando o processo transparente e isento de questionamentos futuros“, explica o presidente do Conselho, Sérgio Frade

 

O presidente da ACMinas, Aguinaldo Diniz, destaca que uma eficiente gestão dos riscos deve ser prioritária à contratação de um seguro. “A prevenção e controle dos riscos vem em primeiro lugar e deve ser supervisionada diretamente pelo nível estratégico da empresa. Visa assegurar a sustentabilidade dos negócios, mercado e o resultado das empresas”.

 

A reunião contou com depoimentos de executivos das seguradoras Liberty, Rogério Alvarenga, da Sompo, Galba Ferraz, do advogado Landulfo Ferreira Filho e do Major Mesquita, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.  Os conselhos da ACMinas buscam examinar assuntos de interesse dos empresários, que após discutidos possam colaborar com a gestão e desenvolvimento das empresas associadas.

Confira as fotos

 

 

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: