VIBRANTE MULTIPOTENCIAL

Por: Anamélia Tagliaferri

Conheci o termo Multipotencialidade durante o período que mais me questionei sobre o que eu queria fazer da minha vida. Poucos anos atrás. Uma pergunta bem similar àquela que nos fazemos aos 7, 12, 17 anos “o que quero ser quando crescer”? dominava minha mente noite e dia: “O que eu vou fazer agora?”

Depois de quase 15 anos conhecida como uma especialista em Importação e Exportação em uma grande Multinacional, me vi sem um rótulo. Foi diante a essa nudez que percebi que eu poderia ser a Anamélia que eu quisesse ser, me assumindo com múltiplos labels, com uma nova forma de interagir com o mundo, comigo mesma e com o trabalho.

Me redescobri uma vibrante multipotencial. Foi quando senti um alívio (e ainda sinto) em saber que gostar de muitas coisas diferentes, muitos assuntos, mais de uma atividade ou me interessar por mais de uma área só intensificava a minha curiosidade, ampliava o meu conhecimento e, consequentemente eu me tornava mais interessada portanto, mais interessante. Menos convencional. Eu passava a me aceitar do jeitinho que sempre gostei de ser: Plural. Soma.

Um exemplo histórico de Pessoa da Renascença (outra forma de descrever multipotencial) foi Leonardo da Vinci, pintor, escritor, poeta, físico, inventor, engenheiro. Naquela época do Renascentismo , a multipotencialidade era estimulada. No entanto, após séculos, a Revolucão industrial com a produção em larga escala, trouxe a necessidade de especialização que ainda permanece enraizada em grande parte da sociedade. A maioria dos profissionais de recrutamento vêm apenas o lado negativo do multipotencial: planos são iniciados, porém não são finalizados. Surge a apatia, a alienação social, o tédio, a falta de propósito, o estresse.
Fui e sou encorajada a sempre me especializar, sem espaço para explorar novas alternativas.

Entretanto, ser multipotencial exige valentia e me motiva: a aprender coisas novas; a combinar habilidades e experiências que me obrigam a criar coisas novas através do meu potencial além de aplicar os conhecimentos sobre determinado assunto em novas áreas completamente diferentes; a aprender rápido e a não ter medo de tentar coisas novas e, a adaptar às novas situações.
As combinações de potenciais, experiências e interesses são infinitas gerando muita diversidade.

Por isso, #ficaadica, se aceite! Siga curioso(a). Acolha a sua multipotencialidade e a tenha como benção. Ser você mesmo(a) é sua melhor forma de contribuir com o mundo.  

“Quando resolvemos fazer tudo o que a gente gosta a possibilidade de ser feliz é muito maior.” Autor desconhecido.

 

Compartilhe

Receba novidades por email

Assine nosso informativo

Não enviamos Span, apenas as última novidades.

Mais Lidos

Veja mais: