A importância de conhecer o patrimônio da sua empresa

Você sabe exatamente qual o patrimônio líquido da sua empresa? Conhecê-lo é de extrema importância. Isso dá parâmetros para análise de desempenho, crescimento e saúde financeira do seu empreendimento.
Esse cálculo é um processo simples, mas que demanda um exame criterioso de alguns dados para chegar ao seu valor final.

O que é o patrimônio líquido?

É o resultado da diferença entre os ativos e os passivos do seu negócio. Se você estiver se perguntando como é possível saber quais são seus ativos e passivos, saiba que se trata de um dado contábil bem simples. Vamos lá.
calculando o patrimônio da sua empresa

Calculando os ativos

Para começar, vamos entender o que são os ativos. Basta pensar em todos os bens e direitos que uma empresa possui somados. Vamos separar e entender os dois conceitos:
Bens: o que tem valor econômico, ou seja, tudo aquilo que pode ser efetivamente convertido em dinheiro, como: o próprio dinheiro, imóveis, automóveis, maquinário, terrenos, entre outras coisas.
É importante notar que existem bens que são intangíveis, ou seja, aqueles que não são concretos e podem ser mais difíceis de ser convertidos em dinheiro, mas que ainda assim são bens. Exemplos: a sua marca, seu website, sua cartela de clientes, seu ponto de venda, entre outros.
Direitos: quando falamos em direitos falamos dos valores que a empresa tem a receber, mas dos quais ainda não dispõe no momento. Alguns exemplos são: duplicatas, promissórias, títulos, precatórias, indenizações, saldos a receber.
Outra distinção importante a respeito dos ativos para calcular o seu patrimônio líquido é separar ativos circulantes dos não circulantes.
Circulantes: são todos os ativos que podem ser convertidos em dinheiro num curto prazo, que é convencionado na contabilidade no recebimento em até 12 meses. Tomemos como exemplo: dinheiro em caixa, saldos a receber em prazo curto, estoque e mercadorias.
Não circulantes: estes são os ativos que a empresa possui e que são possíveis de conversão em dinheiro, mas apenas em longo prazo (acima de 12 meses). Exemplos: imóveis, terrenos e marca, entre outros.

Agora vamos calcular os passivos da empresa

Os passivos vêm em contrapeso aos ativos. Então, eles só podem ser as obrigações de pagamento, não é verdade? Exatamente!
Todas as dívidas, ou seja, valores a serem pagos, entram nesta conta. Entre elas você tem, por exemplo: fornecedores, colaboradores, financiamentos, empréstimos, entre outros dividendos.
Os passivos também são divididos entre circulantes e não circulantes, a distinção feita entre os dois é exatamente a mesma que a feita para os ativos.

Aprendendo a calcular o patrimônio líquido

Para calcular o patrimônio líquido, como já antecipamos, você precisa subtrair o valor dos seus ativos do valor dos seus passivos. O resultado será o valor que a sua empresa possui. Caso você tenha que fechar suas portas amanhã, essa diferença seria o que os sócios poderiam levar dessa resolução.
É conveniente fazer este levantamento mensalmente, se você estiver apto e tiver disponibilidade (ou uma equipe) para tal. O monitoramento da variação do seu patrimônio vai indicar se seu negócio está em crescimento, gerando lucros, entre outras inferências possíveis.
Você também pode calcular eventualmente apenas os circulantes, de forma que tenha noção do que tem e do que deve num prazo mais curto, para que a empresa não sofra apuros com as contas num futuro próximo, controle bem o fluxo de caixa, e não seja surpreendida.
Esse processo de avaliação, chamado também de demonstração contábil, é o seu balanço patrimonial e vai permitir a demonstração da situação econômica da empresa.

Percebeu a importância dos demonstrativos contábeis?

Esperamos que este texto tenha deixado claro para você as muitas aplicações importantes de se trabalhar com os demonstrativos.
Para reforçar, os demonstrativos favorecem: planejamento financeiro, reflexões partindo da análise da saúde financeira da empresa, controle do fluxo de caixa, estar em dia com os encargos tributários e uma grande melhora na tomada de decisões.
Gostou do texto? Acompanhe a ACMinas também pelas redes sociais.
Facebook  Twitter

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.