ACMinas assume posição contrária a voos interestaduais na Pampulha

Lideranças dos diversos segmentos da sociedade civil debateram nesta quinta feira, na ACMinas, a Portaria do Ministério dos Transportes que autoriza a operação de voos interestaduais a partir do Aeroporto da Pampulha. Praticamente todos o participantes do debate – eram mais de 100 – manifestaram desacordo com a medida, entendendo que dela resultará significativa redução de voos pelo Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, que poderá, inclusive, perder a condição de hub internacional. Segundo Adriano de Pinho, presidente do BH Airport, empresa que opera o terminal, o aeroporto fatalmente deixará de servir como conexão de voos domésticos para voos internacionais. Também participaram do debate o representante da Infraero no terminal da Pampulha, Mario Jorge Fernandes, o deputado estadual Antônio Carlos Arantes, prefeitos de diversas cidades da região metropolitana de BH, associações de bairros e especialistas em aviação comercial. Todos se posicionaram em discordância com a mudança, argumentando questões de segurança, esvaziamento econômico nas cidades do entorno de Confins e, por parte de representantes dos moradores da região da Pampulha, questões de segurança. Ao final, o presidente da ACMinas, Lindolfo Paoliello, que havia mediado as discussões, anunciou que a ACMinas, considerando o entendimento majoritário, passava, a partir daquele momento, a enfatizar sua posição contrária à mudança pretendida.

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.