ACMinas debate a reforma do Estado

Objetivo dos encontros é resumir as reformas que o Brasil reclama, segundo a comunidade empresária

“Nenhum Estado terá a chave do seu próprio cofre”, afirmou a advogada Misabel Derzi, especialista em direito tributário, no primeiro encontro do Seminário Permanente da Reforma do Estado Brasileiro, realizado ontem pela Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas), na sede da entidade. O objetivo é, nos diversos encontros que serão promovidos ao longo do ano, resumir as reformas que o Brasil reclama, segundo a comunidade empresária.

Segundo a especialista, a confiança no País está abalada por inúmeras razões. A reforma tributária não prestigiou o federalismo.

“Minas Gerais sempre foi um Estado de integração nacional, ao reconhecer que o sucesso do Brasil depende de todos os estados. Essa nossa falta de prestígio é lastimável. Estamos aguardando os desdobramentos da reforma tributária, pois com os dispositivos que aqui se apresentam, teremos muitas distorções. Os setores de comércio e serviços dificilmente vão conseguir viver sem confiança, pois aquele que investe precisa ter garantia de retorno”, afirmou Misabel Derzi.

“E a grande questão é que a reforma sobre o consumo agrada o empresariado, apesar de ser complexa e, por hora, não facilitar o caminho”, ressaltou.

“Nós queremos, a partir dos seminários, produzir um material sobre o pensamento médio do empresariado brasileiro para o País. Um Brasil que valoriza a democracia, a ação privada, o comportamento ético e que tenha mais educação, menos pobreza e desigualdade”, afirmou o presidente da ACMinas, José Anchieta da Silva.

Aguinaldo Diniz Filho, ex-presidente da ACMinas, e Gustavo Matos de Figueroa, presidente do Conselho de Jovens da ACMinas, serão responsáveis por reunir as informações abordadas durante os seminários.

Fonte: Diário do Comércio 21/03/2024

Acesse na íntegra

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.