ACMinas participa do lançamento do Protocolo Quebre o Silêncio na PBH

A vice-presidente, Alessandra Alkimïn Costa, representou a entidade no evento

“Tive a honra de participar da construção do Protocolo Quebre o Silêncio junto com outras mulheres, que representam entidades públicas e de classe do munícipio de Belo Horizonte. Foi um trabalho de mais de 6 meses e que hoje estamos apresentando para a imprensa”, contou a vice-presidente da ACMinas, Alessandra Alkimïn Costa, na solenidade de lançamento do Protocolo Quebre o Silêncio nesta terça-feira (28/05), realizada na Prefeitura de Belo Horizonte (PBH).

O Protocolo integra um conjunto de ações que visam ampliar o enfrentamento e prevenção à violência, principalmente sexual, contra as mulheres em locais de lazer. A iniciativa prevê que bares, restaurantes e casas noturnas da capital utilizem o Protocolo Quebre o Silêncio na identificação de situações de constrangimento, risco e efetiva agressão sexual contra mulheres, no acolhimento delas e nas abordagens ao agressor.

A Lei 11.261, de 09 de novembro de 2020, torna obrigatório aos bares, restaurantes e casas noturnas da capital a aplicação das instruções do Protocolo nos casos de risco e violência contra mulheres. Além disso, outros espaços de lazer, cultura, hotéis, entre outros poderão também aderir, como prevê a Lei 11.560, de 02 de agosto de 2023.

De acordo com o prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman, se o Protocolo já existisse há alguns anos atras, todos já saberiam o que fazer se vivenciassem situações de violência contra a mulher. “Com o Quebre o Silêncio será possível que as mulheres sejam defendidas, respeitadas e protegidas. Estamos com representantes das mais importantes entidades jurídicas e comerciais da nossa cidade e vamos nos ajudar mutualmente na proteção das mulheres”.

 

Créditos: Divulgação ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.