ACMinas quer novo governo mineiro engajado na Aerotrópole da RMBH

O presidente da ACMinas, Lindolfo Paoliello, convocou o novo governo do Estado de Minas Gerais, a ser eleito em outubro próximo, a focalizar a implementação da Aerotrópole da Região Metropolitana de Belo Horizonte como marco brasileiro da nova “Economia do Desenvolvimento”.

A convocação foi manifestada em seu pronunciamento no Fórum “Perspectivas Sócio-Econômicas & Cenários para Investimentos”, organizado pelo Movimento Decole Minas e realizado no World Trade Center, em São Paulo. Segundo Paoliello, “a Associação Comercial e Empresarial de Minas, ao fazê-la, cumpre mais uma vez, o seu papel de promoter de iniciativas de interesse público relevante”.

Segundo Paoliello, dos nove projetos apresentados pelo Decole Minas durante o evento, dois são da ACMinas: o “Confins mais Perto”, que busca ampliar a acessibilidade ao aeroporto Interncional de Belo Horizonte,  e o “Internacionaliza BH”, focado na disseminação de atitudes cosmopolitas entre empresas, instituições municipais e a população.

Leia a íntegra de seu pronunciamento:

“Pela implantação da Aerotrópole da RMBH

Um Estado que pretenda competir globalmente no século XXI deve entender a Região Metropolitana de sua Capital como o local onde devem estar concentrados os empreendimentos da nova ‘Economia do Desenvolvimento’, de forma a acelerar o movimento de contínua diversificação de suas atividades econômicas. Esse território deve ser fomentado como um centro gerador de conhecimento e inovações, que possa oferecer vantagens competitivas, tanto para as empresas e complexos geradores de conhecimento já instalados quanto para aqueles que vierem ali se instalar. De ver ainda o espaço onde são gerados permanentemente empregos qualificados e níveis de renda elevados, com reconhecido padrão de excelência em conectividade física, e no qual a força matriz produzida seja capaz de influenciar economicamente outras regiões do Estado.

A Aerotrópole é o coração deste espaço físico que vai emergindo como símbolo da polis globalizada do século atual. É a nova centralidade que surge e que tem o aeroporto internacional de excelente reputação como o principal motor de sua dinâmica econômica. O futuro está presente na ‘Economia do Conhecimento’. São exemplos vivos e vitoriosos as aerotrópoles de Amsterdam, Dallas e Singapura.

Por ser um espaço criteriosamente planejado com altos padrões de mobilidade e acessibilidade, a Aerotrópole propicia o surgimento, de forma ordenada, de parques logísticos, industriais e residenciais. E mais: de centros de distribuição e manufatura leve, complexos de Tecnologia da Informação, de comunicações, eletrônica e de biotecnologia, além de instalações médicas de classe mundial, campus de ensino superior com viés internacional, hotéis, centros de convenção, equipamentos de turismo, centros de varejo e atacado e de entretenimento. As distâncias, nesse espaço, não são mais medidas por quilômetros e, sim, por minutos. Um espaço onde os preços de bens de serviços são fortemente competitivos em escala global. No contexto da Região Metropolitana de Belo Horizonte, o Aeroporto Internacional de BH é peça chave para o fluxo dos produtos movimentados nas cadeias globais de suprimento e âncora do empreendimento em pauta.

A ACMinas – Associação Comercial de Minas, cumprindo mais uma vez seu destino de promoter de iniciativas de interesse público relevante, elege o espaço do WTC – por ser na percepção mundial um ícone das relações econômicas – e o Fórum “Perspectivas Sócio Econômicas & Cenários para Investimentos” como palco para convocar o novo governo do Estado de Minas Gerais, a ser eleito em outubro próximo, a focalizar a implementação da Aerotrópole da Região Metropolitana de Belo Horizonte como o marco brasileiro da nova Economia do Desenvolvimento.”

O Aeroporto Internacional de BH como alavanca do desenvolvimento

 Encerrado no final da tarde desta quinta feira, com uma rodada de negócios entre prefeitos dos municípios do vetor norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, o evento promovido pelo Decole Minas no WTC, em São Paulo – “Perspectivas Sócio-Econômicas &Cenários para Investimentos” – teve como principal foco o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte como alavanca de desenvolvimento para negócios.

 O tema, apresentado pelo ex-ministro Mailson da Nóbrega e pelo presidente do Conselho Consultivo do World Trade Center de São Paulo, Ozires Silva, foi debatido, entre outros CEOs e altos executivos de grandes corporações, por Jason Ward Ward, Vice-President People & Customers da Azul, Rogério Avelar, presidente da Cisrec e Prefeito de Lagoa Santa, Adriano Pinho, CEO do BH Airport, Flávio Roscoe, presidente da Fiemg, Lindolfo Paoliello, presidente da ACMinas, e Gilson Brito, Presidente da Associação dos Desenvolvedores do Vetor Norte.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.