Aperam vai investir R$ 243 milhões em expansão e modernização da fábrica em MG

*Por Cibelle Bouças

A multinacional de aços especiais Aperam anuncia investimento de R$ 243,6 milhões no país neste ano para ampliar e modernizar sua capacidade produtiva. Os aportes serão feitos na unidade industrial de Timóteo (MG) com recursos do caixa da companhia, disse ao Valor o presidente da Aperam no Brasil, Frederico Ayres Lima.

Do total, R$ 90,6 milhões serão destinados à atualização tecnológica e aumento da produtividade da linha de aço inoxidável, com a modernização nas linhas de recozimento e decapagem. O aço tipo inox é o carro-chefe da siderúrgica.

Outros R$ 26 milhões serão aplicados na oferta do revestimento C5 fino para os aços elétricos de grão não orientado (GNO), usado na produção de máquinas elétricas rotativas, como motores, compressores e geradores. “Esse investimento nos credencia para entrar no mercado de veículos elétricos no Brasil e no mercado externo”, afirmou Ayres.

A Aperam também vai investir R$ 55 milhões na área de produção de aço grão orientado de alta permeabilidade (HGO), um produto siderúrgico mais complexo, usado em transformadores de energia.

Por fim, R$ 72 milhões serão destinados à área de produção de aço verde, por meio da Aperam BioEnergia, incluindo plantio de eucalipto e equipamentos de produção. O investimento também contempla os processos da empresa focados em eficiência energética.

Foto: Reprodução / Facebook Aperam

A operação da Aperam no Brasil usa carvão vegetal produzido pela subsidiária BioEnergia, que produz e vende carvão vegetal, tecnologia, mudas e sementes a partir de florestas renováveis de eucalipto em Minas Gerais.

Ayres disse que a capacidade produtiva da companhia muda muito pouco, permanecendo em torno 900 mil toneladas de aço líquido ao ano. Mas há o aumento na produção de aços mais nobres em detrimento de produtos mais básicos. “A produção de aço inoxidável vai aumentar e o aço de grão orientado de alta permeabilidade [HGO], que gera perdas magnéticas menores em comparação ao grão orientado [GO]”, afirmou o executivo.

Segundo o executivo, no primeiro trimestre do ano, a demanda aumentou de 25% a 30% em relação ao mesmo intervalo de 2020, devido a uma reposição de estoques de clientes. “Essa questão dos estoques vai se equacionar em breve e aí voltamos ao crescimento normal do setor, que é duas vezes o PIB [Produto Interno Bruto]”, afirmou.

Em suas contas, a demanda deve crescer em torno de 6% no país neste ano, considerando a perspectiva de um aumento de 3% no PIB. Esse crescimento econômico, segundo o executivo, será possível com a realização das reformas no país (como a tributária) e ao controle da pandemia com a vacinação em massa. “Acredito que as reformas serão feitas pelo governo e o consumo vai aumentar”, disse Ayres.

No mundo, a Aperam, opera mais cinco unidades industriais na França e na Bélgica, com capacidade de 2,5 milhões de toneladas de placas de aço por ano. Em 2020, a companhia reportou lucro líquido de 175 milhões de euros, em alta de 18,2% em relação ao lucro apurado em 2019.

O desempenho global foi beneficiado em parte por um ganho de 66 milhões de euros com crédito fiscal de PIS e Cofins no Brasil. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) caiu 3,9%, para 343 milhões de euros. A receita líquida encolheu 14,5%, para 3,62 bilhões de euros, devido à queda de 6,1% nos embarques e a preços mais baixos, informou.

A companhia ainda não divulgou o balanço da operação brasileira, mas informou que em 2020 os volumes caíram 6%. Porém, Ebitda aumentou 16%, devido à variação cambial e a um mix de produtos favorável.

Leia mais: Valor Econômico | Empresas| 09/04/2021

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.