Brasil gera 394.989 vagas com carteira assinada em outubro

Por: Leonardo Faria Lima – Economista ACMinas

Segundo os dados estatísticos do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o país gerou 394.989 vagas com carteira assinada em outubro – crescimento de 26,78% sobre o mês anterior (311.552 postos). O resultado é oriundo da diferença entre o total de admissões (1.548.628) e de desligamentos (1.153.639).

Este é o quarto mês consecutivo com saldo positivo e é o recorde no âmbito da série histórica do CAGED – iniciada em 1992.

Das cinco principais atividades econômicas, quatro apresentaram saldo positivo no referido mês. O setor de serviços criou 156.766 novas vagas; o comércio, 115.677 postos; a indústria, 86.426; a construção civil, 36.296.

O desempenho registrado nos últimos meses é justificado pela flexibilização do isolamento social. No mês de março, as admissões retrocederam e as demissões obtiveram uma abrupta alta devido ao advento da pandemia do coronavírus.

Apesar dos bons resultados observados, em 2020, o país ainda acumula a perda de 171.139 vagas de trabalho celetistas. Entretanto, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, acredita que os empregos perdidos no início da pandemia serão recuperados até o final do ano.

Minas Gerais

Em outubro, o Estado de Minas Gerais criou 42.124 postos celetistas de trabalho, resultado de 163.934 admissões e 121.810 desligamentos. O saldo mensurado é o quinto positivo consecutivo e ele representa um acréscimo de 17,26% ante setembro (saldo de 35.924 vagas).

No acumulado de 2020, estado apresentou saldo positivo de 5.340 vagas Entretanto, Minas ainda não recuperou os postos de trabalho perdidos durante o início da pandemia, entre março e maio foram eliminadas 153.370 vagas, e de junho a outubro ocorreu a geração de 126.984 vagas. Isto é, ainda há um saldo 26.386 postos de trabalho a ser recuperado.

As atividades econômicas de destaque foram os serviços e a indústria com o advento de 17.013 e 10.619 postos formais de trabalho respectivamente. Minas também obteve o segundo melhor desempenho entre as 27 unidades federativas, sendo responsável por 10,66% dos empregos formais criados no país.

Belo Horizonte

Belo Horizonte abriu 9.318 novos empregos formais no mês de outubro, avanço de 52,93% sobre setembro (6.093 vagas criadas). No ano, a cidade apresenta saldo negativo de 19.628 vagas.

O saldo quantificado no referido período é procedente da diferença entre as admissões (36.383) e os desligamentos (27.065).

Além disso, Belo Horizonte foi a terceira cidade que mais gerou novos empregos no Brasil, ficando a apenas atrás de São Paulo e Curitiba – elas criaram 43.977 e 11.704 postos de trabalho respectivamente.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.