Chega ao fim o DOC. Economista da ACMinas destaca Pix como evolução do meio de transferência eletrônica

Após quase quatro décadas de revolucionar o sistema financeiro brasileiro, o Documento de Ordem de Crédito (DOC), o primeiro meio eletrônico de transferência bancária do país, será oficialmente extinto. O DOC, que permitiu aos clientes transferir dinheiro de forma eletrônica, com débito no mesmo dia e crédito na conta do beneficiário no dia útil seguinte, se despede, marcando o fim de uma era.

 

Paulo Casaca, economista da ACMinas fala sobre a extinção do DOC em reportagem no Jornal Nacional.

 

Além do DOC, outro serviço bancário que também será encerrado é o TEC (Transferência Especial de Crédito), utilizado por empresas para efetuar o pagamento de benefícios a funcionários. A decisão de encerrar esses serviços foi comunicada pelos bancos ao Banco Central.

O prazo final para envio ou agendamento de DOC e TEC é até as 22h desta segunda-feira (15). A partir desse horário, esses serviços não estarão mais disponíveis nos caixas eletrônicos ou nos aplicativos bancários. A explicação para essa mudança pode ser resumida em três letras: PIX.

Desde sua criação em 2020, o PIX, sistema de pagamentos instantâneos, tem ganhado enorme popularidade. Em 2020, foram realizadas 176 milhões de transações via PIX. Esse número saltou para mais de 9 bilhões no ano seguinte e atingiu quase 42 bilhões em 2023, de acordo com dados do Banco Central. Em contrapartida, o DOC, que registrou 251 milhões de transações em 2020, viu seu volume diminuir significativamente a cada ano, chegando a apenas 36 milhões em 2023.

Paulo Casaca, economista da Associação Comercial e Empresarial de Minas Gerais, destaca a vantagem adicional do PIX em relação ao DOC, especialmente no que diz respeito à inclusão de uma parcela maior da população no sistema de pagamento. O PIX possibilita transações de valores menores e inclui o mercado informal, algo que o DOC não conseguia realizar.

O economista ressalta: “Quando comparamos as épocas, são duas grandes revoluções para o sistema financeiro brasileiro”. Enquanto o DOC se despede nesta segunda-feira (15), a TED (Transferência Eletrônica Disponível) continua existindo para transferências acima de R$ 5 mil entre contas.

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.