Começam as obras do Aeródromo Inhotim

Fonte: Diário do Comércio

As obras do Aeródromo Inhotim, que será erguido na cidade de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), serão lançadas na próxima semana, mas a movimentação no canteiro do empreendimento já começou. Com investimento estimado em R$ 140 milhões, a expectativa é gerar mais de 640 empregos diretos e 800 indiretos na região. Em pleno funcionamento, a criação de postos de trabalho poderá chegar a 21 mil.

As informações são do presidente da Orion Consórcio Investidor, responsável pelo empreendimento, Luiz Tito. Segundo ele, como a construção do terminal já foi autorizada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a área recebeu a licença ambiental do Conselho Municipal de Desenvolvimento Ambiental (Codema), algumas pequenas intervenções de terraplanagem já tiveram início na semana passada.

“O lançamento oficial das obras ocorrerá na próxima quinta-feira (22). Mas o canteiro de obras está montado e alguns trabalhos já começaram. A proposta é que em agosto do ano que vem o aeródromo esteja pronto para operar pousos e decolagens”, anunciou.

Ele lembrou ainda que a construção ocorrerá em uma área com cerca de 2 milhões de metros quadrados, localizada no Distrito Industrial (DI) do Bandeirinhas, distante 4 quilômetros do centro de Betim e 15 quilômetros do Instituto Inhotim, localizado no município de Brumadinho, também na RMBH.

Segundo o presidente do consórcio, trata-se de um empreendimento exclusivamente privado, que, inicialmente, operará apenas voos executivos, mas nascerá com todas as condições de operar voos comerciais regionais. De acordo com o projeto, futuramente o aeroporto poderá receber aviões do porte do modelo 737-800 da Boeing, que possuem 39 metros do comprimento e 37 metros de envergadura, e capacidade para aproximadamente 180 passageiros.

“Estamos falando de uma pista de 1.800 metros de comprimento. Ao todo, são 500 metros a mais do que o Aeroporto Carlos Drummond de Andrade, mais conhecido como aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte; e do que o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro”, completou.

O terminal de passageiros ocupará uma área de 1.200 metros quadrados e terá duas pontes para embarque e desembarque de passageiros. Também serão construídos hangares para o abrigo de aeronaves de pequeno porte e de porte comercial.

Questionado sobre quaisquer problemas em termos de concorrência com o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, localizado em Confins, na RMBH, ou com o próprio aeroporto da Pampulha, Tito argumentou que o foco do novo terminal estará em públicos e destinos bem diferentes.

Turismo – Segundo ele, o Aeródromo Inhotim estará voltado para os turistas que visitam o museu, além de moradores e empresários de cidades como Betim, Divinópolis, Itaúna, Mateus Leme, Igarapé, entre outras, situadas a cerca de 150 quilômetros do Aeroporto Internacional Tancredo Neves.

“Além disso, haverá uma questão de segurança, já que a região não tem um local de pouso, sequer para helicópteros, em situações de emergência. Ele também oferecerá um suporte ao parque industrial e comercial, localizado em Betim e em seu entorno”, ponderou.

Pesquisas apontam que a região tem uma demanda de, aproximadamente, 3 mil voos anuais, originados de diversos destinos. Com a construção do aeródromo, há a possibilidade de ampliação desse fluxo, o que vai gerar benefícios para Betim e entorno. As atividades de turismo, comércio e produção industrial serão ampliadas, criando mais empregos e ampliando as atividades econômicas da região.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.