Comércio muda rotina para amenizar impactos em BH

Com cinco pessoas contaminadas pelo novo coronavírus (Covid-19) em Belo Horizonte e a primeira transmissão comunitária na capital mineira, confirmadas pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES), estabelecimentos comerciais de diferentes setores estão mudando a rotina e adotando medidas para amenizar os impactos nos negócios e ajudar na contenção do avanço da doença pelo País. Entre as ações, horários de funcionamento alterados, restrição do fluxo de pessoas, aumento da higienização e a disponibilização de álcool em gel.

Representantes de setores como o de bares, restaurantes e padarias, bem como algumas empresas das áreas de entretenimento e shopping centers, afirmaram à reportagem que as medidas visam à limitação da disseminação do vírus, mas também poderão ajudar no equilíbrio dos negócios, uma vez que as atividades já sentem a baixa na demanda em função das orientações dos órgãos oficiais para se evitar aglomerações e o isolamento domiciliar ou hospitalar de pessoas com sintomas da doença.

O governo do Estado, por sua vez, negou, por meio da assessoria de imprensa, qualquer determinação para fechar bares, restaurantes e shoppings da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), a exemplo do que fizeram os executivos estaduais do Rio de Janeiro e de São Paulo.

De toda maneira, seguindo orientação da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), a maioria dos centros de compras da Capital passa a adotar horários de funcionamento reduzidos a partir de hoje. Shopping Del Rey (Noroeste), Minas Shopping (Nordeste) e Diamond Mall, Pátio Savassi e BH Shopping (Centro-Sul) funcionarão de 12h às 20h, de segunda-feira a domingo.

Por meio de nota, a Multiplan, administradora dos malls BH Shopping, Diamond Mall e Pátio Savassi, reafirmou que acompanha com atenção a evolução das informações sobre o Covid-19 e que adotou uma série de medidas no sentido de intensificar ainda mais a limpeza e higienização de suas dependências, e que veicula em suas instalações campanhas educativas sobre o assunto.

Já o Shopping Del Rey, também por nota, disse que a redução no funcionamento do centro de compras busca ampliar o combate à doença, reforçando o compromisso da brMalls, empresa administradora do empreendimento, com a responsabilidade social e que outros 22 shoppings da companhia no Brasil seguirão a mesma orientação.

Com a mesma preocupação, a Cineart Multiplex informou que está operando com 60% da capacidade das salas de cinema, com os lugares marcados, para que os espectadores escolham os seus lugares, mantendo distância segura entre si; e que reforçou a higienização de todas as instalações, especialmente das poltronas, corrimãos e maçanetas após o término de cada sessão.

Panificadoras – O presidente da Associação Mineira da Indústria da Panificação (Amipão), Vinícius Dantas, por sua vez, afirmou que as padarias da capital mineira estão atuando com vistas não apenas a segurança dos consumidores, mas também dos empresários, funcionários e fornecedores.

Em relação ao horário de funcionamento, Dantas explicou que o setor, tradicionalmente já opera com horário diferenciado de 6h às 22h, mas que caso a demanda venha a aumentar nas próximas semanas, em função da maior restrição de locomoção das pessoas pela cidade, o setor poderá trabalhar com a hipótese de expandir ainda mais.

“Neste primeiro momento não houve incremento da demanda. Pelo contrário, algumas padarias já registram menor fluxo de pessoas e de vendas. Mas sabemos que isso poderá mudar nos próximos dias, a partir das orientações de isolamento. As pessoas provavelmente priorizarão estabelecimentos mais próximos de suas residências”, explicou.

Já o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais (Abrasel-MG), Ricardo Rodrigues, ressaltou que a entidade disponibilizou um ebook para os associados com informações sobre a pandemia e as devidas orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. Entre as medidas, espaçamento maior entre as mesas, maior higienização dos locais e disponibilização de álcool em gel.

“Estamos aguardando o posicionamento final das autoridades sobre a alimentação fora do lar na cidade. Por enquanto não há restrição no funcionamento, mas já identificamos queda no movimento e estamos adotando algumas medidas para que o público que optar sair, se sinta seguro e confortável.”, argumentou.

Diário do Comércio – 18/03/2020

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.