Como inovar sem atropelos

Rafael Rocha – O Tempo 

Se, por um lado, os avanços tecnológicos agregam ferramentas indispensáveis às empresas, por outro, os líderes mais atentos perceberam que toda essa avalanche de inovação pode se demonstrar insustentável caso não seja bem dosada. Os analistas de Recursos Humanos (RH) estão preocupados em como inovar sem dinamitar a relação com seus empregados. Um encontro realizado nesta terça-feira (2) na capital debateu esse dilema: a harmonia entre a cultura organizacional e as transformações digitais e seus desdobramentos na gestão de equipes. Organizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), o evento atraiu especialistas em gestão de pessoas de grandes empresas, como SAP, ArcelorMittal, Fundação Dom Cabral, Anglo American, Telemont, Grupo Sada, entre outras. Também preocupam os líderes as transformações que esse avanço tecnológico vai provocar no próprio ofício de recursos humanos. “O RH dificilmente será relevante se não utilizar a inteligência artificial”, avalia o professor e pesquisador Paulo Almeida, da Fundação Dom Cabral. Nesse cenário, empresas que mantiverem seus planejamentos apontando para temas como diversidade e empatia certamente vão ocupar lugar de destaque. Valorizar as habilidades de cada funcionário em contraponto ao reconhecimento de títulos e diplomas também é outra prática sugerida. “Organizações precisam ter propósito. As que não tiverem não sobreviverão”, diz Almeida.

O que as grandes empresas agora acreditam é que colocar o ser humano como protagonista nessa relação é uma estratégia eficaz no mundo cada vez mais digital, conforme detalha o diretor de RH e comunicação do Grupo Sada, Alexandre Sena. “As grandes transformações só vão acontecer se a gente trouxer as pessoas para dentro delas. Temos que olhar mais para as pessoas do que para processos e burocracias”, completa. Para que o ambiente de trabalho seja mais confortável, o perfil dos gestores de RH também precisa estar alinhado com questões contemporâneas, sugerem os especialistas. “Líderes precisam ser humildes e ter apreço pelas pessoas. Liderança não é poder sobre alguém, nem controle. Isso é algo absolutamente atrasado”, explica Almeida. O receio de perder o emprego para um software ou robô está presente, mas a angústia não se sustenta. Segundo especialistas, a gestão de pessoas segue em caminho inverso: quer investir na valorização dos funcionários e em toda sua complexidade. “São as pessoas que fazem o sucesso de qualquer empresa. Todo líder tem que cuidar muito das pessoas. A essência do líder é saber encantar, como criar experiência para que seus funcionários se sintam felizes”, explica a presidente da ABRH-MG, Eliane Ramos. Até 2030, 85% das profissões serão novas Prever o futuro é tarefa para vidente, mas, quando o assunto é gestão de recursos humanos, alguns apontamentos são possíveis, segundo estudiosos do tema. Uma das conclusões inescapáveis é que em breve as profissões atuais vão desaparecer com maior rapidez, e outras surgirão na mesma velocidade. Um dado apresentado no Fórum da ABRH-MG chama atenção: até 2030, cerca de 85% das profissões serão novas. Para o presidente nacional da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), Paulo Sardinha, esse movimento não é sinônimo de que o avanço tecnológico vai engolir vagas de emprego. “Nos países onde a tecnologia está mais à frente, não existe roubo de emprego; então essa talvez seja uma projeção fora da realidade”, avalia. Nesse sentido, o Brasil leva vantagem, pois é considerado um ambiente favorável à criatividade. “Alguns países do exterior são muito presos a metodologias, o que inibe a criatividade”, diz. Competências para a liderança ideal Paulo Almeida, professor e pesquisador da Fundação Dom Cabral, deu dicas de como um líder deve ser comportar para atingir sucesso com sua equipe: Definir expectativas com clareza. Enfatizar seu propósito em narrativas. Demonstrar humildade. Escutar, reconhecer e exercitar a gratidão. Criar clima de confiança para assumir erros. Criar organização que se adapte à inovação. Orientar e incentivar o aprendizado permanente.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.