Confiança do Comércio sobe 0,9 ponto em março com alta em expectativas, diz FGV

“Confiança do comércio sobe em março exclusivamente influenciada pela alta no índice de expectativas, o qual tem oscilado nos últimos meses, mostrando cautela por parte dos empresários”, destacou a fundação

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre) subiu 0,9 ponto em março, para 90,4 pontos, recuperando parcialmente a queda de 1,0 ponto de fevereiro.

Em médias móveis trimestrais, o índice subiu pelo quarto mês consecutivo, em 0,4 ponto, para 90,1 pontos.

“A confiança do comércio sobe em março exclusivamente influenciada pela alta no índice de expectativas, o qual tem oscilado nos últimos meses, mostrando cautela por parte dos empresários. Por outro lado, houve piora pouco expressiva nas avaliações sobre o momento atual, causada pela percepção da demanda. Apesar disso, o primeiro trimestre do ano se encerra de forma positiva, indicando um cenário relativamente mais favorável em comparação ao final de 2023. O avanço do mercado de trabalho, da confiança dos consumidores e da redução do endividamento das famílias, fatores diretamente ligados ao consumo, ainda são elementos chave para recuperação do setor”, avalia Geórgia Veloso, economista do FGV Ibre, em comentário no relatório.

Em março, a alta da confiança foi disseminada nos seis principais segmentos do setor. O resultado positivo do mês foi influenciado pela reavaliação no Índice de Expectativas (IE-COM), que avançou 2,0 pontos, para 88,3 pontos, mantendo a oscilação observada nos últimos meses.

Ambos os quesitos que compõem o IE-COM variaram positivamente no mês: o indicador sobre as perspectivas de vendas nos próximos três meses subiu 2,1 pontos, para 87,0 pontos e as expectativas sobre a tendência dos negócios nos próximos seis meses avançaram em 1,7 ponto, para 89,9 pontos.

Em direção contrária, o Índice de Situação Atual (ISA-COM) recuou 0,3 ponto, para 93,0 pontos. A queda no ISA-COM foi influenciada pelo recuo no indicador que avalia o volume de demanda atual que caiu 1,3 ponto, para 93,7 pontos, após alta de 6,3 pontos no mês anterior.

As avaliações sobre a situação atual dos negócios variaram positivamente pelo segundo mês consecutivo, agora em 0,8 ponto, para 92,5 pontos.

Apesar da recente flutuação, a confiança do comércio encerra o primeiro trimestre 1,9 ponto acima do imediatamente anterior. A oscilação do IE-COM, que vem ocorrendo nos últimos meses, também é retratado nos dados trimestrais.

Depois de cair no final de 2023, o IE-COM do primeiro trimestre de 2024 subiu 2,6 pontos. Na situação atual, é observada a segunda alta consecutiva trimestral, recuperando parte do que foi perdido no início de 2023.

“A confiança do comércio inicia 2024 com ganhos, mas apesar dos resultados positivos no ambiente macroeconômico de 2023, o nível dos indicadores sugere cautela com os próximos meses”, diz Veloso.

Fonte: Valor Econômico 27/03/2024

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.