Convergência de modais de transporte de pessoas e cargas é solução para acessibilidade na RMBH

O presidente da ACMinas, Lindolfo Paoliello, lançou, ao final do Café Parlamentar realizado nesta quarta feira, uma nova iniciativa da entidade: a criação do Movimento pela Acessibilidade ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte. Motivado pela apresentação sobre o tema feita pelo professor Paulo Resende, da Fundação Dom Cabral, assim como pelas manifestações dos participantes, ele destacou a necessidade de mobilização de entidades, empresas e sociedade como um todo em favor de planejamento e intervenções capazes de assegurar um acesso mais fácil ao aeroporto. “A acessibilidade não se restringe apenas ao aeroporto”, disse, “mas também ao desenvolvimento dos municípios do vetor norte da Região Metropolitana.”

Na apresentação que deu origem à criação do Movimento, o professor Paulo Resende, novo presidente do Conselho Empresarial de Mobilidade e Logística da ACMinas, afirmou que a acessibilidade ao Aeroporto de Confins deve ser vista como “um ativo logístico que ultrapassa o transporte de passageiros de um Estado e se transforma em elemento de integração no contexto brasileiro e latino americano. E isto remete mais a perguntas que a respostas”, disse.

Resende começou conceituando a acessibilidade como uma contribuição para o desenvolvimento de regiões que, integradas, possibilita a pessoas e empresas se beneficiarem das oportunidades no espaço urbano com menor mobilidade. “Acessibilidade está relacionada com o potencial de interações na dinâmica da movimentação de pessoas e produtos no ambiente urbano. É preciso conhecer as raízes das grandes questões, e aí sim inserir discussões específicas em grandes contextos”, pontuou.

Ele destacou também que a acessibilidade ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte deve ser entendida sob critérios econômicos, sociais, ambientais e, sobretudo, de uma política macrorregional e não concorrencial no microcosmo de uma cidade. “A acessibilidade ao Aeroporto deve se pautar por meio de uma visão metropolitana, quanto ao desenvolvimento, e mineira como estratégia.”

Debates

Após sua apresentação, os participantes fizeram diversos questionamentos e apresentaram suas contribuições para o tema. Para a diretora geral da Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo horizonte, Flávia Mourão Amaral, é preciso unir forças – overno, Legislativo, sociedade civil e setor empresarial – para que se possa viabilizar as intervenções necessárias para assegurar a acessibilidade.

“Nós, do estado, estamos trabalhando hoje no plano de mobilidade da Região Metropolitana”, disse, “onde a acessibilidade ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte é um elemento chave. Acreditamos que só a partir desse conjunto de interações conseguiremos priorizar as intervenções e articulações necessárias. Precisamos trabalhar com investimentos do Estado, dos municípios e do governo federal. Mas a iniciativa da ACMinas de levantar esta discussão vem trazendo atores muito importantes para o processo de tomada de decisão”.
Já o empresário e vice-presidente da ACMinas Wilson Nélio Brumer, afirmou que o Brasil está cheio de projetos mas com pouca ação. “Devemos unir as bandeiras de todos os municípios e pensar no desenvolvimento da Região Metropolitana”.

Posses

O encontro foi também o palco da posse dos novos presidentes dos Conselhos Empresariais de Mobilidade e Logística e Turismo, professor Paulo Resende, coordenador do núcleo FDC de Infraestrutura, supply chain e logística da Fundação Dom Cabral, e Jair de Aguiar Neto, presidente do BHC&VB, que assumiu a liderança do Conselho Empresarial de Turismo. Resende afirmou que o objetivo do organismo é inserir o tema mobilidade urbana e logística como pauta estratégica para Minas Gerais. “Mobilidade urbana tem a ver com a vida das pessoas, com a dinâmica do seu deslocamento no ambiente urbano. A nossa intenção é tornar estratégica esta discussão, colocando Minas Gerais como grande Estado logístico brasileiro”.

Para Jair de Aguiar Neto, “o Conselho Empresarial de Turismo começa sua gestão já mais forte, pois reúne todas as entidades do setor em favor do turismo de Belo Horizonte e de Minas Gerais. “Nosso Conselho será um fórum qualificado para discussões de temas importantes, como a própria solução desses gargalos. Queremos trazer uma Belo Horizonte única, com uma fala única do turismo em Belo Horizonte para o mundo”.


Café parlamentar

O “Café Parlamentar” é uma tradicional promoção da Associação Comercial e Empresarial de Minas – ACMinas, que oferece a oportunidade de um encontro com as principais lideranças empresariais e políticas mineiras, em torno de questões relevantes da vida nacional e, em especial, de ações voltadas para o desenvolvimento econômico e social.

Criado há 20 anos, o evento tem recebido empresários, ministros de Estado, governadores, prefeitos e dirigentes de órgãos da administração pública de todos os níveis, além dos principais executivos de empresas nacionais e estrangeiras.

Confira as fotos no nosso Flickr: https://goo.gl/enXAoH

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.