Coronavírus pode gerar queda de 4,4% no PIB brasileiro de 2020

Estudo realizado pelo Centro de Macroeconomia Aplicada da FGV (Fundação Getúlio Vargas) demonstra que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2020 poderá sofrer uma involução de 4,4% devido à pandemia do coronavírus.

Se este cenário for ratificado, essa seria a maior redução nominal (desconsidera os efeitos inflacionários) da economia desde 1962 – ano no qual foi iniciada a série histórica do Banco Central.

A crise mundial de saúde está afetando abruptamente a economia brasileira com fechamento forçado de várias empresas, cancelamentos / suspensão de shows e eventos, e a restrição da circulação de pessoas.

O estudo, em uma perspectiva mais otimista, antevê que o PIB fique estagnado, isto é, com uma expansão próxima de 0%.

Para 2020, o governo federal estimava crescimento de 2,0% e os principais indicadores macroeconômicos sugeriam que a atividade econômica estava seguindo este caminho. Contudo, a previsão estruturada não corroborava alguns fatores exógenos, tais como a pandemia do coronavírus. Este novo cenário traz grandes desafios para o governo federal, especialmente, para atenuar os impactos negativos da crise sobre as empresas e mercado de trabalho.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.