Cotação do minério de ferro deve continuar elevada

Crédito: REUTERS/Muyu Xu

Apesar da queda de quase 6% no preço do minério de ferro na China ontem, que foi para US$ 164,41 a tonelada, a tendência para o valor do produto é bastante positiva em 2021.

Especialistas consultados pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO destacam que o recuo é algo pontual e que o mercado tem pela frente boas perspectivas, impulsionadas pelo cenário promissor no país asiático e também pela demanda interna, com a movimentação cada vez maior da construção civil.

A retração verificada ontem, destaca o analista da Terra Investimentos, Regis Chinchila, se deu diante de um quadro em que os investidores refletiram a adoção de limites de produção no polo siderúrgico de Tangshan, na província chinesa de Hebei, em ações tomadas para reprimir a poluição.

“Acreditamos que essa notícia seja pontual, pois o cenário ainda mostra uma forte fabricação no setor siderúrgico chinês e expectativa de um crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) acima de 8%”, diz ele. “O cenário base de consenso do mercado atualmente mostra um minério de ferro entre US$ 120/ tonelada e US$ 150/ tonelada”, salienta.

O especialista lembra que o início da pandemia da Covid-19 no ano passado gerou várias incertezas no mercado de aço e nos estoques de minério de ferro, impactando a oferta e até mesmo levando à paralisação de fornos em empresas, que reduziram a produção. Isso, lembra ele, ocasionou alta nos preços do produto, uma vez que a demanda chinesa não diminuiu como era esperado e o Brasil mostrou recuperação antes do previsto.

“Para 2021, a recuperação da economia no Brasil e principalmente do setor da construção civil também são componentes importantes para que as siderurgias continuem movimentando o mercado de minério de ferro e principalmente repassando os aumentos de preços”, destaca.

Já no cenário internacional, pontua Chinchila, “a demanda da China pelo minério de ferro continua sendo o grande catalisador da movimentação do preço. Esse movimento ganhou bastante força na compra em 2020 e em 2021 está um pouco mais volátil, porém, ainda apontando uma alta média de 10%”.

Presidente do Conselho Empresarial de Mineração e Siderurgia da Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas), Adriano Espeschit também ressalta as boas perspectivas de crescimento da China e, consequentemente, o cenário promissor para o minério de ferro.

Por ora, salienta ele, o Brasil conseguirá atender a demanda prevista e não existem grandes previsões de aumento significativo da produção do País. Ele lembra que, além da própria China, a Austrália também é uma grande produtora de minério de ferro.

“A Austrália está mais próxima do mercado consumidor, ganha na logística, mas perde na qualidade do minério. Os consumidores também dependem de comprar nosso minério”, diz ele.

Analista de Investimentos da Mirai Asset, Pedro Galdi ressalta que o preço do minério de ferro está em um patamar interessante. “O cenário continua positivo para o minério de ferro. Os preços das commodities estão subindo muito fortemente”, afirma ele.

Para o analista, o aumento da capacidade de produção do País vai depender de alguns fatores, como os relacionados aos desdobramentos da pandemia da Covid-19.

Por Juliana Siqueira (diário do Comércio)
Em 10 de março de 2021 às 00:25

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.