Dia Nacional da Inovação é celebrado hoje no Brasil

Processo desempenha papel crucial no crescimento econômico, social e tecnológico

 

Crédito: Getty Images

 

A inovação é um dos principais motores do crescimento econômico e da competitividade das empresas e não se baseia apenas no desenvolvimento de novos produtos. Também oferece novos serviços e melhora os processos. Desempenha ainda um papel fundamental no desenvolvimento de negócios e países, pois impulsiona o crescimento econômico, a competitividade e a melhoria da qualidade de vida.

No Brasil, o governo federal e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) vêm promovendo uma série de ações voltadas a facilitar investimentos, apoiar novas ideias e ajudá-las a sair do papel, visando aproximar o conhecimento gerado na academia às necessidades do mercado. Mas o que é inovação e qual a importância para o desenvolvimento de um negócio e de uma nação?

Inovação é a exploração com sucesso de uma nova ideia, agregando valor a um produto, processo ou modelo de negócio, aumentando sua competitividade. Está associada à mudança e/ou melhoria de algo já existente ou completamente novo.

inovação é um tema transversal, que está presente em praticamente todas as áreas: agricultura, energia, saúde, educação, cidades e várias outras. A Política Nacional de Inovação, criada pelo Decreto 10.534/2020, busca orientar ações do governo federal para o aumento da produtividade e competitividade das empresas. Além disso, a política criou a Câmara de Inovação, um órgão interministerial para ampliar a coesão de programas de diferentes pastas ligados a startups e o empreendedorismo.

Entre as iniciativas estão o Marco Legal do Empreendedorismo; o programa Centelha, a Política Brasileira de Inovação; e a Estratégia Brasileira de Inteligência Artificial, por exemplo, mas existem várias outras iniciativas inclusive de fomento à inovação nos níveis federal, estadual e municipal.
Ainda há um longo caminho pela frente, mas é importante celebrar as conquistas e a importância do tema culminou com a criação de um dia nacional.

A celebração do Dia Nacional da Inovação tem como base o feito do aeronauta e inventor brasileiro Alberto Santos Dumont. Em 19 de outubro de 1901, Santos Dumont foi declarado vencedor do prêmio Deutsch, após ter participado de uma competição com diversos inventores. A data foi aprovada pelo Congresso Nacional em 2009 e foi sancionada pela Lei 12.193, em 14 de janeiro de 2010.

Algumas das principais razões pelas quais a inovação é tão importante:

Crescimento econômico: A inovação é um motor crucial do crescimento econômico. Empresas que inovam são mais propensas a expandir, criar empregos e aumentar sua lucratividade. Da mesma forma, nações que promovem um ambiente de inovação atraem investimentos e prosperam economicamente.

Competitividade: Em um mercado global cada vez mais competitivo, as empresas precisam inovar para se manterem relevantes. A inovação ajuda a diferenciar produtos e serviços, atraindo clientes e expandindo a base de consumidores.

Eficiência: Inovações podem tornar os processos mais eficientes, resultando em economias de custo significativas e na melhoria da produtividade.

Criação de empregos: Setores baseados em inovação frequentemente geram oportunidades de emprego de alta qualidade, especialmente em áreas de tecnologia e pesquisa. Isso contribui para o desenvolvimento de competências e a redução do desemprego.

Desenvolvimento de tecnologia: A inovação impulsiona o desenvolvimento de novas tecnologias, que podem ter aplicações em uma variedade de setores, podendo ser exportadas e gerar receita para o País.

Melhoria da qualidade de vida: A inovação pode resultar em produtos e serviços que melhoram a qualidade de vida das pessoas. Isso pode incluir avanços na área da saúde, transporte, educação e muito mais.

Sustentabilidade: A inovação desempenha um papel fundamental na busca por soluções sustentáveis, incluindo o desenvolvimento de tecnologias verdes, práticas de produção mais limpas e a promoção de um uso mais eficiente dos recursos naturais.

Desenvolvimento de capital humano: A busca por inovação exige uma força de trabalho qualificada e educada. Como resultado, a inovação contribui para o desenvolvimento do capital humano, melhorando a educação e as habilidades da população.

Atração de investimentos: Países que são reconhecidos por seu ambiente inovador são mais propensos a atrair investimentos estrangeiros diretos. Isso pode levar a uma maior capacidade de financiamento para o crescimento econômico.

Resiliência econômica: A inovação pode ajudar as empresas e os países a se adaptarem a mudanças nas condições econômicas, como crises financeiras e pandemias.

Em resumo, a inovação é um motor vital para o desenvolvimento de negócios e países, impulsionando o crescimento econômico, a competitividade e a melhoria da qualidade de vida.

Portanto, incentivar um ambiente de inovação é fundamental para o progresso sustentável em todos os níveis.

É neste contexto que o DIÁRIO DO COMÉRCIO apresenta hoje a página “Inovação”, com periodicidade mensal, produzida por mim, Janayna Bhering, engenheira com mestrado em Ciência e Tecnologia, especialista em estatística aplicada a processos (Six Sigma Black Belt) e gestão da inovação, com periodicidade mensal. A proposta da página é informar e inspirar os leitores sobre as últimas inovações nos setores de negócios e tecnologia.

Além disso, desmistificar conceitos e demonstrar que inovação pode também impactar a vida de toda a sociedade.

Para o pequeno, médio e grande empresário espera-se criar uma trilha de conteúdo e conhecimento no tema inovação.

Apreciem sem moderação.

De Minas para o mundo, celeiro de oportunidades

Minas Gerais desempenha um papel significativo no desenvolvimento de inovações para o Brasil por meio de uma série de fatores e recursos que promovem a pesquisa, o desenvolvimento tecnológico, a geração de capital intelectual e mão de obra qualificada e a inovação.

Alguns dos principais elementos que contribuem para o papel do estado nesse contexto:

Instituições de ensino superior: Minas Gerais abriga mais de 300 instituições de ensino superior. Essas instituições desempenham um papel crucial na pesquisa científica e tecnológica, produzindo conhecimento que pode ser aplicado em inovações.

Centros de pesquisa: Além das universidades, o Estado abriga vários centros de pesquisa e instituições dedicadas à inovação, como o Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Nuclear (CDTN) e o Centro de Pesquisas René Rachou (CPqRR) e o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), que trabalham em diversas áreas, desde energia nuclear até saúde.

Parques tecnológicos: Minas Gerais tem parques tecnológicos, como o Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-Tec) e o Parque Tecnológico de Viçosa (Tecnoparq), que fornecem espaço e suporte para empresas de tecnologia, startups e centros de pesquisa. Esses locais promovem a colaboração e o desenvolvimento de soluções inovadoras.

Incentivos à inovação: O governo de Minas Gerais e instituições regionais como Fapemig e BDMG fornecem incentivos financeiros e fiscais para empresas e projetos de pesquisa e desenvolvimento. Esses incentivos ajudam a atrair investimentos e fomentam a inovação.

Setores estratégicos: O Estado possui indústrias e setores estratégicos, como o de mineração, siderurgia e energia, que demandam inovação para aumentar a eficiência, reduzir impactos ambientais e manter a competitividade.

Ecossistema de startups: Minas Gerais tem um crescente ecossistema de startups, com incubadoras, aceleradoras e eventos que promovem o empreendedorismo e a inovação.

Redes de colaboração: Parcerias entre universidades, empresas e órgãos governamentais promovem a colaboração e o compartilhamento de conhecimento, impulsionando a inovação.

Em suma, Minas Gerais desempenha um papel importante no desenvolvimento de inovações para o Brasil, pois oferece uma infraestrutura sólida para pesquisa, desenvolvimento e empreendedorismo, bem como recursos humanos qualificados e um ambiente propício à inovação. A interação entre instituições de ensino, setores estratégicos e a comunidade de startups contribui para a criação e implementação de soluções inovadoras que podem beneficiar o Estado e o País como um todo.

Janayna Bhering | Crédito: Arquivo Pessoal

 

Créditos: Diário do Comércio

 

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.