‘Estamos passando do platô, começando a queda’, diz secretário de Saúde sobre a pandemia da Covid-19 em MG

Por: Mikaela Salachenski, G1 Minas — Belo Horizonte

“O que nós vemos hoje é que o platô se configurou com muita clareza e, para nós, isso é muito importante porque o platô parou de subir. Neste momento, o que estamos começando a ver são alguns sinais de que estamos passando do platô, começando a queda”, disse o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (24).

Para essa análise da pandemia de coronavírus no estado são avaliados os percentuais de casos confirmados, as solicitações de internações na rede pública, a ocupação de leitos e o número de óbitos. E, segundo o secretário, todos estão com tendência de queda, sendo que as mortes apresentam uma queda mais lenta.

Minas Gerais tem mais de 195 mil pacientes infectados com o vírus, dos quais 4.805 não resistiram e morreram, de acordo com o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES) desta segunda-feira.

Apesar de ter apontado a queda, o secretário reforçou a importância dos cuidados para evitar a contaminação com o novo coronavírus. Entre eles estão os hábitos de higiene, o uso de máscara e a manutenção do distanciamento social.

Fake News

A mulher que divulgou o vídeo fake dos caixões com pedras em BH foi indiciada pela Polícia Civil. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (24). Na coletiva, o secretário de Saúde afirmou que acredita que situações como essa fazem parte do processo democrático.

“As fake news muitas das vezes, embora algumas exageradas, fazem parte da liberdade de expressão. As pessoas podem e devem se expressar, então também isso faz parte da democracia”, afirmou Carlos Eduardo Amaral.

No mês de abril, circulou pelas redes sociais o vídeo em que a mulher afirmava que encontraram pedra e madeira ao abrir caixões de vítimas do coronavírus em cemitérios municipais de Belo Horizonte. O inquérito foi concluído e Valdete Zanco vai responder pelo crime de denunciação caluniosa e pela contravenção penal de provocar pânico e tumulto.

Teste de Saliva

Durante a coletiva da SES, o secretário afirmou ainda que os laboratórios em Minas Gerais estão recebendo treinamento para começar a realizar os testes de saliva, que serão implementados em todo o estado.

A nova metodologia dispensa o uso do swab, haste flexível estéril utilizada para coleta de amostras no nariz e na garganta. Por causa da alta demanda, o material não é encontrado com facilidade no mercado, segundo Amaral.

A metodologia está sendo adotada após estudos realizados pela Fundação Ezequiel Dias, Hemominas, Fundação Osvaldo Cruz e Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Belo Horizonte (Cerest).

G1 | 24 de agosto de 2020

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.