FMI e Banco Central revisam as projeções para o tombo da economia brasileira em 2020 – recuo de 9,1% e 6,4% respectivamente

Por: Leonardo Faria Lima – Economista ACMinas

 

Fundo Monetário Internacional 

O Fundo Monetário Internacional (FMI) renovou a sua projeção para o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2020. Isto é, de -5,3% para -9,1%. Se o resultado for concretizado, este será a maior recuou registrado em 120 anos. 

Para a economia global, o FMI prevê uma recessão de 4,9%. Para as economias avançadas e emergentes queda de 8% e 3% respectivamente.

A pandemia do coronavírus provocou um forte isolamento social com o intuito de conter a disseminação do vírus e proteger a vida. Porém, essa medida gerou a maior recessão desde a Grande Depressão Econômica de 1929 (Crash da Bolsa de Nova York). 

 

Banco Central

O Banco Central (BACEN) revisou a perspectiva para o desempenho da atividade econômica brasileira em 2020. Agora, a autoridade monetária antevê um tombo de 6,4% para o PIB. 

A renovação de perspectiva foi influenciada pelo contágio econômico advindo da crise mundial de saúde. 

Em relação aos componentes do PIB, o BACEN projetou crescimento de 1,2% para agropecuária, queda de 8,5% para indústria e involução de 5,3% para os serviços (o comércio deverá apresentar recuo de 10,8%).  

Além disso, em 2019, economia brasileira obteve crescimento de 1,1%. E no primeiro trimestre de 2020, apresentou involução de 1,5%. Para o segundo trimestre é esperado um recuo mais abrupto. 

 

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.