Iguatemi confirma investimento na Infracommerce

* Por Ana Paula Ragazzi

A Iguatemi confirmou na noite de terça-feira que é investidora de um fundo que tem participação de 16% da Infracommerce, empresa que prepara uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na B3. A informação não era pública e havia sido apontada em relatório de analistas do Citi, que diz que a oferta pode “destravar valor” hoje não percebido pelo mercado na operadora de shoppings.

Em comunicado, a Iguatemi afirma que o negócio da Infracommerce foi apresentado à sua administração em 2019 pela Cadonau Investimentos, o family office do Grupo Jereissati. Naquele momento, diz o texto, a Cadonau já havia decidido investir no Navigator One Fund, um fundo estrangeiro, gerido por terceiros, que participava de uma rodada de capitalização na Infracommerce.

A Cardonau, então, “ofereceu à Iguatemi a oportunidade de coinvestir nas mesmas condições”. O investimento foi feito pela Iguatemi dentro de seu programa de “corporate venture capital”, como também havia apontado o Citi.

Na estrutura, o Navigator One Fund, através de sua subsidiária integral Engadin Investments, detém 16% da Infracommerce. A Iguatemi possui cotas do Navigator One que correspondem, indiretamente, a 65% do capital da Engadin. A Iguatemi esclarece que não detém participação direta, não é controladora ou parte de qualquer acordo de acionistas que regule o voto ou qualquer outra matéria relevante na Infracommerce.
Pedro Jereissati, integrante do grupo de controle da Iguatemi e conselheiro da empresa de shoppings, é o presidente do conselho de administração da Infracommerce, acrescenta a empresa no comunicado.

A Iguatemi diz ainda que considera o investimento no Navigator One Fund como um investimento financeiro e que pode ser parcial ou totalmente realizado no curto ou médio prazo a depender de condições de mercado.

No comunicado, a Iguatemi informa ainda que “há alguns anos” estruturou e desenvolveu um programa de investimento em corporate venture capital, que tem por objetivo apoiar empresas com potencial de alto crescimento no início de sua jornada empresarial. Além do retorno financeiro esperado desses investimentos, a administração da Iguatemi diz acreditar que essas iniciativas trazem para a companhia “o benefício adicional de estar conectada ao ecossistema de empreendedorismo”.

Nessa jornada, diz o comunicado, a Iguatemi tem avaliado investimentos e parcerias em companhias relacionadas a seu negócio principal, tais como real estate, varejo, e-commerce, moda, eventos, entre outros.

A Iguatemi informa ainda que não realiza esses investimentos com intuito de controlar ou influenciar significativamente as companhias investidas.

Desde 2019, diz a nota, a Iguatemi já realizou três investimentos em companhias que acredita se encaixarem nesse perfil. Do ponto de vista financeiro e dentro dos limites estatutários e de governança, “os investimentos iniciais não são relevantes em percentual do valor de mercado ou do patrimônio da Iguatemi, e por esse motivo não são divulgados no momento em que são realizados”.

Segundo a empresa à medida que se tornem relevantes por seu tamanho, representatividade ou valor de mercado, serão levados ao conhecimento dos investidores e do mercado.

Leia mais: Valor Econômico | Finanças| 14/04/2021

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.