Mercado financeiro interrompe sequência de 20 semanas de recuo para a projeção de alta do PIB Brasil 2019

Por Leonardo Faria Lima

O mercado financeiro interrompeu a sequência de 20 semanas de involução da projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2019.

A perspectiva apresentou um diminuto acréscimo, ou melhor, passou de 0,81% para 0,82%.  A medida instrumentalizada foi influenciada, principalmente, pelo Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). Após recuar 0,32% em abril, o indicador obteve alta de 0,54% em maio perante abril (série com ajuste sazonal). Esta foi a primeira expansão observada no governo do presidente Jair Bolsonaro.

 

O IBC-Br é mensurado desde março de 2010, e é considerado pelo mercado como uma “prévia do PIB”.

A autoridade monetária do país, o Banco Central, acredita que a economia brasileira crescerá 0,80% em 2019. Já o Ministério da Economia projeta uma alta de 0,81%.

Para 2020, a previsão do mercado financeiro ficou estável em 2,1%.

 

Inflação

Para a inflação oficial quantificada pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a previsão apresentou um recuo de 3,82% para 3,78%. A meta inflacionária definida para este ano é de 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.  

A meta é estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), e cabe a Banco Central executar as medidas necessárias para concretizá-la, em especial, por meio da operacionalização da taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic.

 

Taxa Selic

As principais instuições financeiras do país mantiveram em 5,50% a projeção para a Selic no final do exercício de 2019. Hoje, a Selic detém o patamar de 6,5% ao ano. Contudo, é antevisto que no final do mês de julho, a taxa básica de juros sofrerá um novo corte, alcançando o nível de 6,00% ao ano.  O novo estímulo monetário, se acontecer, será executado com o intuito de alavancar os investimentos e consumo através da ampliação de do mercado de credito (maior oferta de recursos financeiros, com taxa de juros menos onerosa).  

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.