Mercado financeiro reduz a projeção para o crescimento da economia brasileira em 2019

Departamento Econômico ACMinas – Leonardo Faria Lima

O Relatório Focus do Banco Central demonstra que o mercado financeiro reduziu a sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019, isto é, de 2,50% para 2,48%. Para inflação a previsão permaneceu a mesma, variação positiva de 3,87%, percentual aquém da meta governamental estipulada para o ano (4,25%). 

 

  • Para 2019, o Conselho Monetário Nacional definiu meta inflacionária de 4,25%, com margem de tolerância de 1,5 pontos percentuais para baixo ou para cima (2,75% e 5,75%).

             

Além disso, para a Taxa Selic, o mercado antevê que ela findará o período em 6,50% ao ano. Assim, a taxa básica de juros da economia brasileira deverá permanecer no atual patamar (menor percentual da série histórica do Banco Central).

 

Projeções para 2020

 

Para o próximo ano, os analistas do mercado financeiro elevaram em 0,08 ponto percentual a projeção para a expansão da atividade econômica brasileira – de 2,50% para 2,58%. Em relação à inflação, a previsão foi mantida em 4,00%, percentual equivalente ao centro de meta inflacionária.

Já para a Selic é antevisto o patamar de 8,00% ao ano. A elevação taxa é influenciada diretamente pelo crescimento econômico, fator pressionador do nível de preços (a inflação).

 

Outras previsões- PIB Brasil 2019

 

Banco Central: 2,40%;

 

Fundo Monetário Internacional (FMI): 2,50%;

 

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE): 2,10%

 

As instituições possuem um consenso para embasar as suas projeções: o crescimento econômico brasileiro de 2019 está intrinsecamente ligado às reformas necessárias para edificar o equilíbrio fiscal das contas públicas.  Deste modo, reconstruindo o tripé macroeconômico do país, que é estruturado pelas metas inflacionárias, metas de superávit primário e câmbio flutuante.

 

  • Superávit primário: é a economia que o governo federal realiza para pagar os juros da dívida pública.

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.