Mercury Renew investirá R$ 3 bi para gerar energia solar em MG

*Por Mara Bianchetti

Com aportes de R$ 5,5 bilhões até 2025, a Mercury Renew planeja virar líder nacional de energia renovável | Crédito: Divulgação

Dos R$ 5,5 bilhões que a Mercury Renew planeja investir para implantar 2 gigawatts de energia solar no Brasil até 2025, pelo menos R$ 3 bilhões serão destinados a projetos em Minas Gerais. Já são três usinas confirmadas a serem construídas nos municípios de Várzea de Palma e Paracatu, no Norte do Estado, totalizando mais de 1 gigawatt de geração.

O maior deles diz respeito à usina Hélio Vargas, em Várzea de Palma, que já conta com contrato de compra e venda de energia (PPA) assinado com a Liasa, uma das maiores produtoras de silício metálico do mundo. O projeto é de 650 megawatt-pico (MWp), com investimento de R$ 1,7 bilhão e início da operação previsto para 2023.

Segundo o CEO da Mercury Renew, Pedro Fiuza, a construção da usina será iniciada nos próximos meses e as operações estão previstas para o primeiro trimestre de 2023. Neste momento, a Mercury está finalizando o processo de compra de equipamentos para montagem do parque solar. “Apenas esse projeto vai gerar 700 empregos diretos no pico das obras. É um dos diferenciais do setor, que é intensivo em mão de obra”, ressaltou.

O contrato com a Liasa, de 20 anos de suprimento de energia, foi celebrado na modalidade de autoprodução, dando à empresa a possibilidade de se tornar sócia do empreendimento futuramente.

Segundo Fiuza, os demais projetos de energia solar da Mercury Renew em Minas são outra usina em Várzea da Palma, essa com capacidade de geração de 120 MWp e uma terceira em Paracatu, com 275 MWp – ambas previstas para operar a partir de 2024. Além disso, haverá ainda usinas em Bom Nome (PE), com 130 MWp e Castilho (SP), com 270 MWp.

Todos foram desenvolvidos pela Solatio, maior desenvolvedora de projetos solares da América Latina. Com mais de 20 anos de experiência no setor fotovoltaico e com mais de 120 projetos na Europa, a Solatio está no Brasil desde 2009 e tem mais de 6 GW desenvolvidos. A Mercury Renew firmou contrato com a Solatio que lhe dará acesso prioritário aos projetos da companhia.

Fiuza afirma que um dos projetos vai gerar 700 empregos | Crédito: Divulgação

Meta – O executivo também destacou que a Mercury Renew é a junção das expertises da gestora de recursos Perfin e da Servtec Energia. A meta da empresa é tornar-se líder no setor de geração de energia renovável no Brasil. E que a nova companhia terá como objetivo maior a construção de projetos solares, especialmente no Sudeste e Centro-Oeste, visando à venda da produção dos parques diretamente a empresas que adquirem o suprimento no mercado livre de energia, onde atuam principalmente grandes indústrias e comércios.

“Estamos vivendo um processo de descarbonização da economia e uma preocupação crescente com ESG por parte das empresas. Vemos um grande potencial no mercado brasileiro para geração de energia renovável, especialmente solar, e vamos contribuir para consolidar essa mudança, atendendo principalmente o mercado livre”, disse.

Há mais de 20 anos no setor elétrico, a Servtec Energia opera usinas que somam mais de 1.000 MW de potência, nas mais diversas fontes. Já a Perfin investe no setor de energia desde 2007 e tem mais de R$ 20 bilhões sob gestão, sendo mais de R$ 4 bilhões em ativos desse segmento.

Estado atinge a capacidade de 1 GW
Minas Gerais ultrapassou a marca de 1 GW de potência instalada de geração distribuída de energia solar fotovoltaica.

O marco mantém o Estado na posição de líder em geração distribuída de energia solar no País, sendo responsável por 18% de todo o potencial instalado no Brasil. São 844 cidades abastecidas com geração própria, o que resulta em 98,9% dos municípios mineiros.

De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a energia renovável é fornecida por 84.248 usinas de microgeração e minigeração instaladas no estado, que beneficiam mais de 120.929 consumidores e evitam a emissão de aproximadamente 394 mil toneladas de gases de efeito estufa por ano.

Sob a gestão do governador Romeu Zema, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) vem desenvolvendo ações e projetos para atração de investimentos nesse setor. “Este registro é mais um resultado do nosso trabalho, comprovando que Minas Gerais possui o melhor ambiente de negócios para investimentos”, destaca o secretário Fernando Passalio.

O secretário ressalta, ainda, o projeto Sol de Minas, que atua na manutenção e melhoria desse ambiente de negócios, em todos seus aspectos, como tributário, ambiental, regulatório e de financiamento.

Recorde -A marca de 1 GW de potência instalada, alcançado na quarta-feira (19),  representa aproximadamente R$ 4,5 bilhões efetivamente investidos pelos mineiros para geração da própria energia, no sistema de compensação da Aneel, a partir da fonte solar fotovoltaica. Esses empreendimentos garantem a geração de empregos, formação de profissionais técnicos e qualificados e produção de renda.

Capacitação – A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico realizará nos dias 20 e 21 de junho, de forma gratuita, a segunda capacitação de gestores municipais do projeto Estratégico Sol de Minas. O período de inscrição está aberto e os membros da administração pública dos municípios interessados têm até o dia 17 de junho para confirmar a participação.

A capacitação é uma oportunidade de trocar experiências sobre o setor de geração de energia fotovoltaica e conta com palestras de órgãos referência no assunto como o Indi, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) e do Banco do Nordeste.

A novidade desta segunda edição é a palestra sobre financiamento do BDMG, que concederá linhas de crédito especiais aos municípios mineiros com o projeto BDMG Cidades Sustentáveis, que inclui financiamento para empreendimentos de energias renováveis, como a solar fotovoltaica. (Agência Minas)

Leia mais: Diário do Comércio|ECONOMIA| 21/05/2021

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.