Minas tem saldo positivo de 4,5 mil vagas

Fonte: Diário do Comércio

Favorecido pela abertura de vagas no setor de comércio e serviços, Minas Gerais encerrou outubro com saldo positivo na geração de empregos formais. Ao todo, entre admissões e demissões, foram geradas 4,5 mil vagas em outubro, resultado bem melhor do que o déficit de 5,8 mil posições no mesmo mês de 2016. Os dados foram divulgados ontem pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Ao todo, foram admitidas 132,9 mil pessoas em outubro em todo o Estado contra 128,4 mil demissões, gerando um saldo de 4,5 mil postos de trabalho. Só no comércio, foram criadas 4,1 mil vagas, já descontando as demissões do período. Ainda assim, o superávit foi 19,7% menor que a abertura de 5,1 mil empregos pelo setor no mesmo mês de 2016.

O setor de serviços registrou um saldo positivo de 2,7 mil vagas em outubro, o que também colaborou para o superávit total do Estado no período. O resultado também é muito superior ao apurado no mesmo mês do ano passado, quando o segmento eliminou 2 mil empregos formais em Minas.

A indústria da transformação também ajudou o mercado de trabalho estadual, com a geração de 1,1 mil postos de trabalho em outubro, já descontando as demissões. O resultado do parque foi bem superior na comparação com igual mês de 2016, quando o segmento registrou saldo negativo de 1,3 mil vagas.

Dentro da indústria da transformação, o parque mecânico foi o setor que mais gerou empregos em outubro, com a abertura de 667 mil postos de trabalho, já descontando os desligamentos. Na contramão, a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico registrou um déficit de 697 vagas.

Com base nos dados do Caged, em outubro a indústria extrativa, que representa um importante setor da economia do Estado, admitiu 613 pessoas e demitiu 709 trabalhadores, o que gerou um saldo negativo de 96 vagas de emprego formal. O resultado da atividade foi pior do que no mesmo mês de 2016, quando o segmento cortou apenas 8 posições.

A construção civil, intensiva na utilização de mão de obra, foi outro segmento que colaborou para o resultado positivo de outubro. No mês, a atividade admitiu 1,8 mil trabalhadores a mais do que demitiu. O desempenho foi melhor na comparação com a perda de 1,1 mil vagas em outubro de 2016.

Déficit – A agropecuária, no entanto, foi responsável por um déficit de 5.278 vagas em outubro, resultado de 10.570 admissões e 15.848 desligamentos.

Acumulado – No acumulado do ano até outubro, o Estado registrou um saldo positivo de 62,2 mil vagas de empregos formais. No período, foram admitidas 1,438 milhão de pessoas no mercado de trabalho mineiro contra 1,376 milhão de demissões. O superávit do período superou o déficit de 54,8 mil vagas nos mesmos meses de 2016. Neste recorte, o segmento que mais colaborou para o resultado foi a agropecuária, que abriu 10,1 mil vagas (já descontadas as demissões).

Em contrapartida, nos últimos 12 meses encerrados em outubro deste ano, o Estado eliminou 2,2 mil vagas de empregos formais, resultado menos grave do que o déficit que Minas registrou nos 12 meses terminados no mesmo mês do ano passado, quando foram eliminadas 140,4 mil posições.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.