Mineiros lançam manifesto pela democracia brasileira

Empresários, lideranças e cidadãos mineiros assinam o II Manifesto dos Mineiros. O documento foi idealizado pelo presidente da Associação Comercial Empresarial de Minas (ACMinas), José Anchieta da Silva.  O objetivo do documento, de acordo com ele, é reconstruir a democracia do País.

“O País necessita de uma verdadeira ‘reforma do Estado’, compreendendo as reformas internas necessárias, sobressaindo: a reforma político-eleitoral, a reforma administrativa, a reforma do sistema de educação (só a educação transforma as pessoas), a reforma do sistema de segurança, a reforma orçamental e econômica, a reforma do sistema tributário (são reformas de conteúdo)”, explica o presidente da ACMinas, José Anchieta da Silva.

O documento se inspira em um manifesto de 1943, também assinado por mineiros, contra a ditadura imposta no Brasil por Getúlio Vargas. Nessa época, Minas Gerais se tornou protagonista nacional da democracia.

No manifesto, Anchieta pontua que é preciso uma reforma constitucional, mas é imperativo reconhecer que a Constituição de 1988 já cumpriu o seu papel histórico de assegurar a democracia e de valorizar a cidadania.

“Quanto aos demais, o que dela se recolhe é um texto antônimo de si mesmo, na medida em que oferece, para uma mesma pergunta, como resposta, sempre um sim e um não. Não se desconhece a delicadeza do tema e as dificuldades a serem encontradas no seu enfrentamento”, opina.

O documento detalha ainda questões a respeito do desemprego, inflação e estruturação dos poderes Executivo e Legislativo. “Enquanto estivermos vivendo esse desencontro de ideias, sentiremos uma incerteza que acaba afetando todos os setores econômicos do País. Como resultado, não terá crescimento e o desemprego vai aumentar ainda mais. Além disso, os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário têm que respeitar os seus limites e falarem a mesma língua e não ficarem com brigas que acabam comprometendo a estabilidade do Brasil”, finaliza o presidente da ACMinas.

Assinaturas

Até o momento, o Manifesto dos Mineiros está com 212 assinaturas. O documento foi registrado em cartório e a expectativa é a de que até o dia 1° de setembro, o manifesto tenha 300 registros, simbolizando o aniversário de Minas Gerais.

Ainda de acordo com Anchieta, o II Manifesto dos Mineiros ao Povo Brasileiro será entregue a autoridades no dia 7 de setembro, data em que se comemora a Independência do Brasil. E as assinaturas poderão ser feitas até o dia 31 de dezembro deste ano.

Por Gabriela Salles / Diário do Comércio

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.