Natal pode movimentar R$ 3,26 bi na Capital

Por: Diário do Comércio

Daniel Vilela

O comércio foi um dos setores mais afetados pela pandemia da Covid-19 durante 2020, mas o final do ano pode trazer um presente para os lojistas da Capital. Segundo pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), as vendas de Natal devem movimentar R$ 3,26 bilhões na capital mineira, valor relativamente próximo do registrado em 2019, que foi de R$ 3,32 bilhões.

“O Natal é a grande data do comércio. Sempre gera expectativa e movimentação. Este é um ano atípico, o consumidor ainda está receoso e o lojista tentando se recuperar das perdas do longo período de lojas fechadas. Mas, ainda assim, temos a esperança de que a data vai trazer bons negócios para o setor”, afirma o presidente da CDL-BH, Marcelo de Souza e Silva.

Para os 284 lojistas entrevistados durante a pesquisa, o valor médio gasto com presentes neste fim de ano deverá ser de R$102,92. Os itens de vestuário figuram como as principais escolhas para presentear, com 39,9% do total das vendas espeadas. Em seguida vêm acessórios como bolsas e mochilas, com 13,8%, calçados, com 11,7%, utensílios domésticos e itens de decoração, com 7,8%, e cosméticos ou perfumes correspondendo a 7,1% do total.

A pesquisa feita pela CDL-BH também apontou a forma de pagamento preferida pelos consumidores. Segundo os entrevistados, a maioria das compras será paga à vista e com o cartão de crédito (40,6%). Vendas parceladas devem corresponder a 39,6%, seguidas pelo cartão de débito (17,3%) e dinheiro (2,5%).

Estratégias em ano de pandemia – Para muitos comerciantes, as vendas on-line foram a única fonte de renda durante os meses de lockdown. Com lojas fechadas e ruas vazias, as compras pela internet se tornaram uma opção e um hábito que, segundo especialistas, veio para ficar.

“Não paramos mesmo com a pandemia”, conta Rayssa Dollabela, gerente de uma das lojas de uma marca feminina da Capital. Segundo Rayssa, as vendas por redes sociais superaram as expectativas, apesar de a loja não registrar crescimento das vendas durante o ano.

De acordo com a CDL-BH, o Instagram é a principal plataforma de divulgação utilizada pelos lojistas de Belo Horizonte. No Natal deste ano, 76% dos comerciantes pretendem utilizar esta rede social para fazer propaganda. O Whatsapp será a escolha de 46,6% dos empresários e o Facebook será a opção de 43,1%. Mesmo assim, a velha propaganda boca a boca ainda é a aposta de 28,3% dos comerciantes da Capital.

Além da propaganda, 80,6% dos lojistas apostam no atendimento qualificado como forma de vender mais. Para 40,8%, a decoração das lojas também será crucial para encantar os clientes. Os lojistas entrevistados pela CDL-BH também apostam no aumento do número de consumidores empregados e no 13° salário para alavancar as vendas neste Natal.

“Acho que as vendas vão aumentar no Natal com a entrada do 13º”, aposta Cláudio Márcio de Oliveira, empresário do ramo de vendas de semijoias por atacado e varejo. O empresário conta que as vendas pelo atacado foram responsáveis pela maior parte das receitas em 2020, mas diz que, no fim do ano, são as vendas pelo varejo que trazem resultado para a loja.

PREFEITURA VAI ANTECIPAR PAGAMENTO DE SALÁRIO

Para contribuir com o comércio da Capital e possibilitar a dispersão das compras do mês de dezembro, a Prefeitura de Belo Horizonte anunciou ontem que irá antecipar o pagamento dos servidores, aposentados e pensionistas (celetistas e estatutários), referente à folha de novembro, para 1º de dezembro (normalmente creditado no quinto dia útil).

Já o 13 º salário será pago, integralmente, em 10 de dezembro para todos os estatutários. Para os empregados celetistas – cumprindo o que rege a CLT–, a primeira parcela será paga em 30 de novembro e a segunda, em 10 de dezembro. Ao todo, 67,3 mil agentes públicos (47,8 mil ativos e 19,5 mil aposentados e pensionistas) receberão o benefício. Serão destinados para essa finalidade cerca de R$ 324 milhões.

“A queda significativa das receitas e os gastos extraordinários por conta das fortes chuvas de janeiro e da pandemia da Covid-19 demandaram da Prefeitura ainda mais esforços para organização das contas e encerramento do exercício com o orçamento equilibrado. Com todo esse planejamento e com o intuito de estimular as compras, conseguimos disponibilizar o pagamento e 13º salário já nos primeiros dias de dezembro. Essa é mais uma medida para tentar minimizar os impactos da pandemia e auxiliar nosso comerciantes”, disse o secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, André Reis.

Contexto  – Com a queda da arrecadação (em torno de R$ 1 bilhão) em razão da pandemia, a Prefeitura renegociou contratos e efetivou um plano de contingenciamento das despesas do município, o que permitiu que as contas se mantivessem em equilíbrio e que a concessão dos benefícios fosse retomada.
(Com informações da PBH)

 

Jornal Diário do Comércio | 24 de novembro de 2020

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.