Nova diretoria toma posse na ACMinas

Presidente José Anchieta da Silva apresenta durante evento de posse os projetos da gestão 2021/2022

O advogado José Anchieta da Silva, eleito em dezembro para presidir a Associação Comercial e Empresarial de Minas, tomou posse quarta-feira, 06 de janeiro, em cerimônia realizada de forma remota pelo aplicativo zoom, seguindo as normas sanitárias de cuidados da pandemia do Covid-19. Anchieta analisou, em seu discurso, os cenários econômico, político, social e institucional do Brasil, e especialmente de Belo Horizonte, além de destacar o papel da ACMinas no processo de retomada do desenvolvimento econômico pós-pandemia.  A solenidade, conduzida pelo presidente que deixava o cargo Aguinaldo Diniz Filho teve um momento de silencio logo na  abertura para homenagear e se solidarizar com as vitimas da Covid-19.

Durante a abertura também foi lembrada e parabenizada a ACMinas por seus 120 anos de atividade ininterruptas, comemorados neste dia. “Foi uma honra presidir essa entidade centenária e tão importante para Belo Horizonte. Ao deixar a Presidência ressalto a importância da ACMinas como parceira dos governos municipal, estadual e federal, das entidades empresariais e dos cidadãos na busca pelo desenvolvimento. Parabenizo aos meus antecessores por terem trazido ela até os dias de hoje. E me despeço com o sentimento de dever cumprido”, comentou Aguinaldo Diniz Filho.

Os empossados, diretoria executiva, plena e emérita, assumem as atividades para o biênio 2021/2022. Durante o evento o presidente eleito apresentou as propostas e seus principais projetos que são:

– Projeto pauta comum: que busca em alinhamento com instituições para adquirir apoio para realização de projetos que sejam de grande valor para ambas as partes;
– Pregão invertido: uma espécie de pregão negativo, propiciando aos associados conhecer, previamente, num banco de fornecedores de seus produtos, aqueles que pratiquem preços mais baratos em relação aos praticados no mercado tradicional;
– Ouvir e ser ouvido: iniciativa a partir da própria diretoria, no sentido de ouvir a todos os associados, deles colhendo críticas, sugestões e, sobretudo, participação nas atividades da instituição;
– Revogaço: retomar o ‘revogaço’ mineiro, propondo um ‘revogaço’ nacional desobstruindo em benefício dos empresários, de todos os empecilhos desnecessários que oneram a ação da empresa;
– Fortalecimento da Câmara de Mediação Empresarial (CAMEAC): está na ideia de celebração de um convênio, no âmbito do Poder Judiciário de Minas Gerais, criando um programa de aproximação entre devedores e credores que tiverem títulos apontados a protesto, evitando-se a judicialização das cobranças;
– Revitalização do Centro de Belo Horizonte: propõe-se a aproximação com o governo da cidade de Belo Horizonte, no sentido de restaurar e revitalizar o centro antigo de Belo Horizonte.

Quem é o novo presidente:

José Anchieta da Silva, é mestre em Direito Comercial pela UFMG, doutorando em Ciências Jurídico-Empresariais pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, José Anchieta da Silva é professor concursado de Direito Comercial da UFMG e docente na Faculdade de Direito Milton Campos. Exerceu o cargo de Secretário Geral da Escola de Advocacia da OAB/MG e presidiu o Instituto dos Advogados de Minas Gerais. Atuou ainda como Delegado da Comissão de Relações Internacionais do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil junto ao Mercosul. É membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais e das Academias Municipalista e Marianense de Letras. Atua como árbitro e é presidente da Academia Mineira de Letras Jurídicas – AMLJ e titular de José Anchieta da Silva Advocacia.

Confira a integra de seu discurso

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.