PIB Brasil obtém recuo de -1,5% no primeiro trimestre de 2020

Por: Leonardo Faria Lima – Economista ACMinas

 

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro apresentou queda 1,5% no 1º trimestre de 2020 ante o trimestre imediatamente anterior. Este é o primeiro resultado negativo registrado desde o final de 2018 e a pior redução observada desde o 2º trimestre de 2020.

 

 

A involução observada interrompe a gradual recuperação da economia brasileira efetivada nos últimos 3 anos.  Além disso, a economia ainda estava distante do nível anterior ao do início da recessão de 2014-2016.

O resultado obtido corrobora a contaminação econômica oriunda da pandemia do COVID-19, colando o país próximo de uma nova recessão (dois trimestres seguidos de queda no produto interno bruto). Para o segundo trimestre, a previsão é de que o PIB apresente um tombo maior. 

No âmbito da série anual, o PIB sofreu um arrefecimento de 0,3% em relação ao 1º trimestre de 2019. 

 

Setores

Segundo o IBGE, a retração da economia foi ocasionada, especialmente, pela variação negativa de 1,6% nos serviços (engloba o comércio) – setor que detém representação de 74% no PIB do país. Este foi o maior recuo do segmento desde o 4º trimestre de 2008 (-2,3%).

O IBGE explicitou que “aconteceu no Brasil o mesmo que ocorreu em outros países afetados pela pandemia, que foi o recuo nos serviços direcionados às famílias devido ao fechamento dos estabelecimentos. Bens duráveis, veículos, vestuário, salões de beleza, academia, alojamento, alimentação sofreram bastante com o isolamento social”.

A indústria recuou (-1,4%), e a agropecuária cresceu (0,6%) – estimulada pela produção de soja, que possui perspectiva de recorde para esse ano.

 

Variação Setores

(ante o trimestre imediatamente anterior)

 

Serviços: -1,6%;

Indústria: -1,4%; 

Agropecuária: 0,6%; 

Fonte: IBGE

 

 

Consumo das famílias

 

O consumo das famílias sofreu uma forte queda de 2%, assim, descontinuando uma sequência de 12 trimestres consecutivos de resultados positivos. 

O IBGE destacou que o recuou “foi o maior desde a crise energética de 2001”. Além disso, o consumo das famílias possui peso de 65% no PIB. 

Projeção PIB 2020 

1) Mercado financeiro (Relatório Focus Banco Central): a projeção passou de 6,25% para 6,48%.  Essa foi a 17ª involução seguida no indicador;

2) Banco Mundial: prevê uma involução de 5% para a atividade econômica brasileira; 

3) Fundo Monetário Internacional (FMI): antevê queda de 5,3%; 

4) Governo Federal: no dia 13 de maio, o governo brasileiro estimou uma contração de 4,7% para o PIB de 2020;  

 

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.