Queda dos preços dos alimentos eleva o poder de compra do salário mínimo

O Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tuitou ontem (03/10) que a involução dos preços dos alimentos elevou o poder de compra do salário mínimo. O Ministro também enfatizou que o valor da cesta básica obteve a décima quarta semana de recuo consecutivo.

No contexto atual, o valor real do salário mínimo (últimos 12 meses) alcançou o melhor patamar desde o advento do Plano Real em 1994.

Entretanto, os bons números da economia não animam os brasileiros, especialmente, os mais pobres. Grande parte da população ainda enxerga com desconfiança a retomada do crescimento da economia. Esta visão é conduzida por dois fatores evidenciados nos últimos anos: alta do desemprego e da inflação.

A elevação da taxa de desocupação fez com que milhares de pessoas perdessem sua principal fonte renda, o salário, com o qual organizavam sua vida financeira ante as nuances do ambiente econômico. Além disso, a sensação de incerteza foi abruptamente elevada com a catalisação do processo inflacionário. A alta dos preços corroeu o poder de compra da moeda, assim, achatando ainda mais a renda dos brasileiros e elevando o temor em relação ao futuro da economia do país.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.