Redução do custo Brasil pode depender de ação conjunta

*Por Juliana Siqueira

Secretário de Desenvolvimento Econômico do Ministério da Economia apontou a necessidade de mobilizar senadores e deputados | Crédito: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Redução do custo Brasil. O assunto, que frequentemente vem à tona quando se fala da competitividade e de avanços no País, foi tema de um webinar realizado ontem pela Associação Comercial e Empresarial de Minas (ACMinas).

O encontro virtual a respeito do custo Brasil contou com a presença do secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio e Serviços do Ministério da Economia, Jorge Luiz de Lima, que destacou a importância do trabalho do setor produtivo junto ao Estado e a necessidade de tomar medidas para a melhoria do cenário atual.

Também estiveram presentes o presidente da ACMinas, José Anchieta, que realizou a abertura do webinar Projeto Redução do Custo Brasil; o mediador, vice-presidente e coordenador dos conselhos empresariais Marcos Brafman; e os seguintes debatedores: o presidente do Conselho Empresarial de Mineração e Siderurgia, Adriano Espeschit; o presidente do Conselho Empresarial de Economia, Guilherme Leão; o presidente do Conselho Empresarial de Relações Internacionais, Silvio Nazaré; o presidente do Conselho Empresarial de Produtividade, Carlos Alberto Villefort; e o presidente do Conselho Empresarial de Seguros, Sérgio Frade.

Diante desse quadro desafiador ligado ao custo Brasil enfrentado pelo País ao longo dos anos, Lima ressaltou a importância da realização das chamadas reformas estruturais, como a administrativa.

“Temos que fazer uma reforma administrativa. É impossível ter um Estado desse tamanho. É a mesma coisa: se você ganha R$ 1.000 e gasta R$ 1.200, vai quebrar. Se ganha R$ 1.000 e gasta R$ 800, só sobrou R$ 200 para você fazer investimento. Nós não podemos ter esse tamanho do Estado”, destacou ele. “O Estado não pode ter 800 empresas dele”, disse.

Para o secretário, também é muito importante que o empresariado atue junto aos senadores e deputados. “O setor produtivo precisa unir e fazer o que é de direito dele. Conversar com os deputados e senadores”, afirmou.

De acordo com Lima, “não adianta ficar sonhando com um Brasil melhor se nós não sairmos de onde nós estamos”.

Durante o webinar Projeto Redução do Custo Brasil, Lima também falou acerca dos desafios enfrentados por quem deseja empreender no País, entre eles a insegurança jurídica.

“Como você abre um negócio no Brasil se você não tem crédito? Se você não tem segurança jurídica?”, indagou ele.

Custo Brasil: ganhar e perder

Apesar de destacar a necessidade de ações no País, Lima também salientou que nem sempre será possível sair ganhando, mas que é essencial dar o primeiro passo em relação a várias questões. Ele destacou, por exemplo, que a reforma da Previdência não ocorreu conforme o esperado, mas que houve avanços.

“Uma coisa tem que entender: vamos ganhar e vamos perder, mas é preferível fazer o primeiro passo do que não fazer nenhum. A reforma da Previdência é um exemplo disso. Ela não saiu do jeito que a gente queria. Porém, talvez daqui a dez anos nós vamos fazer outra. Mas se não tivesse feito nada, nós estávamos quebrados”, disse.

Leia mais: Diário do Comércio|Política| 18/05/2021

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.