Santa Casa participa de testes da vacina BCG contra Covid-19 e monta posto de vacinação para voluntários

Por: Graziela Rezende, G1 MS

A Santa Casa de Campo Grande participa da testagem da vacina BCG – usada para prevenir a tuberculose e que também pode servir de imunizante contra a Covid-19 – após uma parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto de Pesquisa Infantil Murdoch, da Austrália.

Na próxima semana, a Santa Casa informou que será montado um posto de vacinação. Para participar, voluntários da área da saúde devem fazer um pré-cadastro on-line na Fiocruz. Além do participante não ter sido diagnosticado com a Covid, a restrição é válida para as gestantes.

Nessa quarta-feira (11) o coordenador do estudo no estado, Dr. Julio Croda, ressaltou que o ensaio clínico é financiado pela Fundação Gates e também deve contar com a participação voluntária de cerca de três mil trabalhadores, sendo dois mil no estado.

“Todos os voluntários passarão por exames para verificar se há ou não a presença do vírus no organismo. Parte das pessoas aprovadas receberão a cepa da BCG dinamarquesa e a outra parte o placebo. E vamos acompanhá-las por até um ano, período em que serão feitas análises interinas de proteção, ou seja, avaliações intermediárias recomendadas em estudos de longa duração”, explicou Croda durante evento na Santa Casa.

O estudo, ainda conforme o pesquisador, é aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e está na última etapa, quando é avaliada a eficácia ou não da vacina BCG no tratamento do novo coronavírus.

Júlio Croda ainda comentou que a intenção é verificar a eficácia e, por quanto tempo, o organismo pode ficar imune a Covid-19 e doenças respiratórias, sendo esta uma pesquisa que “envolverá profissionais de diversas áreas, mas que compõem os trabalhos intra-hospitalares como no caso da categoria administrativa, o que inclui funcionários da recepção, lavanderia, higienização e outros.

BCG

Disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), a vacina BCG é obrigatória no Brasil para recém-nascidos desde 1976. Porém, pode ser tomada até os 4 anos de idade. O imunizante protege crianças de até 5 anos das formas mais graves da tuberculose.

G1 | 13 de novembro de 2020

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Posts recentes

Siga a ACMinas

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.