Vendas de imóveis caem 50,06% em BH e Nova Lima

Fonte: Diário do Comércio

O mercado imobiliário enfrentou em 2017 as maiores perdas dos últimos anos. De acordo com o Censo Imobiliário divulgado ontem pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), as vendas de imóveis residenciais novos em Belo Horizonte e Nova Lima (Região Metropolitana) tiveram queda de 50,06% no ano passado em comparação com 2016. Em 2017 foram vendidas 1.765 unidades, contra 3.534 em 2016. A queda no número de lançamentos, nessa mesma base comparativa, foi ainda mais concentrada, ficando em 73,94%. Em 2017, foram lançadas 626 unidades, sendo que no ano anterior foram 2.406 unidades.

Vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, José Francisco Cançado disse que 2017 foi o pior ano da série histórica iniciada em 2015 para o segmento. Mas, de acordo com ele, a percepção é que os resultados de 2017 foram tão ruins que atingiram níveis do ano 2000.

Por outro lado, a perspectiva para 2018 é de alta nas vendas, mas o Sinduscon-MG ainda não tem o percentual de crescimento. Segundo Cançado, o setor vem mostrando recuperação desde o fim do ano passado, com as vendas no quarto trimestre de 2017 sendo maiores que as do terceiro trimestre do ano. Segundo ele, a reação está amparada na melhora do cenário econômico, como queda dos juros, inflação controlada e redução dos índices de desemprego.

Além disso, Cançado explica que há outro fator que pode estimular os lançamentos: os estoques de imóveis novos para venda estão baixos. Isso ocorre porque, em 2017, o número de lançamentos – 626 unidades – foi bem inferior ao de vendas – 1.765 imóveis.
No último mês de dezembro, havia 3.664 unidades residenciais disponíveis para comercialização em BH e Nova Lima, sendo o menor patamar da série histórica iniciada em 2015. Em dezembro do ano anterior, o estoque era de 4.768 unidades. A queda é de 23,15%.

Cançado pondera ainda que o baixo número de lançamentos também desestimula o consumo e contribui para a queda nas vendas. “Há uma demanda específica. Há pessoas que preferem aguardar o lançamento em determinada região, que ainda não foi feito, para concretizar a compra”, explica.

Preços estáveis – O preço dos imóveis ficou estável no comparativo 2017/2016. De acordo com o Sinduscon-MG, o valor do preço médio do metro quadrado de apartamentos novos teve alta de 3,30% no ano passado. Mas, levando-se em conta a inflação do período, que foi de 2,95%, a alta real foi de 0,34%, indicando uma estabilidade. O preço do metro quadrado do imóvel residencial ficou em cerca de R$ 7.800, enquanto o valor do metro quadrado do imóvel comercial foi de cerca de R$ 9, 9 mil.

A maior parte – 38,8% – dos 626 apartamentos novos lançados no ano passado na Capital e em Nova Lima é do padrão standard, cujo valor varia aproximadamente de R$ 215 mil a R$ 400 mil. As demais faixas de preços são: R$ 400 mil a R$ 700 mil (14,1%); R$ 700 mil a R$ 1 milhão (20,9%); de R$ 1 milhão a R$ 2 milhões (10,9%); acima de R$ 2 milhões (5,1%). Dos lançamentos de 2017, 40,3% estavam localizados na região Oeste e 31,5% na Centro-Sul da Capital.

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.