Verallia investirá R$ 400 milhões para ampliar produção em Minas

Com o novo forno, a capacidade produtiva da Verallia subirá de 1,2 milhão para 2,5 milhões de garrafas por dia | Crédito: Verallia – Divulgação

A multinacional francesa Verallia – terceira maior produtora global de embalagens de vidro para alimentos e bebidas – vai construir um segundo forno em Jacutinga, no Sul de Minas Gerais, mediante aportes de € 60 milhões – o equivalente a R$ 400 milhões.

O investimento vai permitir à companhia mais que dobrar a capacidade produtiva da unidade mineira, passando de 1,2 milhão de garrafas para 2,5 milhões, diariamente, a partir de 2023, quando o forno estará operando em plena capacidade.

O anúncio foi feito pelo governador Romeu Zema (Novo) pelas redes sociais. “Mais um grande investimento que vai gerar emprego e renda em Minas Gerais. O grupo francês Verallia vai aplicar 60 milhões de euros (cerca de R$ 400 milhões) na montagem de um novo forno de garrafas de vidro da unidade fabril em Jacutinga. Só no decorrer das obras, cerca de mil empregos serão gerados”, escreveu no Twitter.

O governador também destacou que, desde o início da gestão, sua equipe já atraiu cerca de R$ 95 bilhões em investimentos privados para o Estado. “Continuamos adotando medidas para criar um ambiente ainda melhor para quem quer investir e trabalhar aqui”, completou.

Segundo a empresa, a ampliação da fábrica de Jacutinga visa atender principalmente ao aumento da demanda dos segmentos cervejeiro e alcoólico com embalagens de vidro nas cores âmbar e verde. O foco da produção neste momento é para o mercado interno.

Minas Gerais, por exemplo, abriga fábricas de grandes marcas com operações no Brasil, como Ambev, Grupo Petrópolis e Heineken. Esta última anunciou, no fim do ano passado, investimentos de R$ 1,8 bilhão para erguer uma unidade em Pedro Leopoldo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), cujas obras deverão ser iniciadas nos próximos meses.

Benefícios

De acordo com o governo do Estado, antes da atração da Verallia, as empresas de bebidas com atuação em Minas tinham que comprar as garrafas em outros estados.

Com isso, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a embalagem era gerido pelo local de origem – daí o trabalho da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), via Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior do Estado (Indi), na atração de empreendimentos do tipo.

“Aumentar a nossa capacidade produtiva já estava nos planos. A Verallia é uma empresa muito sólida no Brasil e globalmente, que investe projetando o longo prazo. Esperávamos o momento certo levando em conta, inclusive, as condições de mercado e contratos com nossos clientes”, disse o diretor geral na América do Sul, Quintin Testa.

A ampliação vai permitir a geração de pelo menos 90 empregos efetivos diretos e outros 50 efetivos indiretos. Isso significa praticamente dobrar o total de colaboradores que trabalham atualmente na planta, que foi inaugurada em julho de 2019, mediante investimentos de € 77 milhões (aproximadamente R$ 300 milhões).

Ainda conforme a empresa, a unidade conta com tecnologia de ponta e com o que há de mais moderno na Verallia mundialmente, o que permite responder às demandas de qualidade e de crescimento nos próximos anos.

Além de Jacutinga, a companhia mantém em operação no Brasil fábricas localizadas nas cidades de Porto Ferreira (SP) e Campo Bom (RS), e um Centro de Criações para desenvolvimento de novos produtos em São Paulo.

Por: Mara Bianchetti
Em 2 de março de 2021 às 00:30

Assine nossa Newsletter

Receba nossa novidades em primeira mão por email.